segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Depoimentos, histórias, imagens inesquecíveis que marcaram época, você confere aqui

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Seleção Hypeness: 11 viagens capazes de transformar a sua maneira de encarar a vida

Viajar sempre é uma experiência, porém, em alguns casos, essa experiência é capaz de fazer você se transformar em uma outra pessoa. Seja pelas pessoas, percurso, fase da sua vida ou qualquer outro motivo, colocar o pé na estrada é sair da bolha que você conhece e se aventurar por “novos mundos”.
O Hypeness criou uma seleção com roteiros que, justamente, pela força das experiências que proporcionam, podem mudar a sua maneira de ver e viver a vida. Toma nota:
1. Viajar para o Alasca em busca da natureza selvagem
Quem ainda não leu ou assistiu a incrível história de Chris McCandless e seu ônibus mágico, não sabe o que está perdendo! A beleza cênica imponente, as enormes geleiras da Idade do Gelo e a vida selvagem em profusão tornam o Alasca um lugar transformador para qualquer ser humano.
MFoto via
2. Conhecer a sua verdadeira essência no Xingu
Ver de perto o Quarup, a cerimônia mitológica que homenageia os mortos, encenada pelos 5 500 índios de 14 etnias diferentes que vivem no Parque Indígena do Xingu, está certamente entre as experiências mais incríveis que se pode ter na vida!
Aldeia Kamayurá, durante o Kuarup (festas dos mortos), na região do alto Xingu. 15/08/2010. Foto: Celso Junior/AEFoto © brazilmundo
3. Sonhar alto em Machu Picchu, Peru
No século XV, a cidade construída pela civilização Inca a 2.350 metros de altitude nos Andes peruanos era um lugar sagrado, onde somente a nobreza, os sacerdotes e as mulheres escolhidas podiam entrar. Hoje, a montanha de granito com suas impressionantes construções erguidas com pesados blocos de rocha, atrai mochileiros e viajantes em geral que buscam entrar em contato com as vibrações positivas que emanam do local.
mistica1Foto © Mochila Brasil
4. Vivenciar todo o misticismo de Kathmandu, Nepal
O misticismo permanece intacto em Kathmandu, ponto de chegada e de partida para alpinistas do mundo inteiro ansiosos por escalar alguns dos picos mais altos do mundo, como o Everest e oAnnapurna. A cidade é repleta de templos e palácios hindus e budistas, que convivem em perfeita harmonia – aliás, a mescla única de grupos étnicos tradicionais é uma característica de Kathmandu. Destaque para o belo Balaju Baisdhara Park, com suas 22 bicas de pedra esculpidas na forma de dragões-marinhos.
balajuFoto © Nepal Travel
5. Se isolar na Ilha de Páscoa, Chile
As famosas estátuas Moai com seus rostos com narizes grandes olhando para o mar são icônicas da Ilha de Páscoa, também conhecida como umbigo do mundo (Te Pito o Te Henua). Constituídas por rochas vulcânicas, com 1 a 10 metros de altura e pesando até 80 toneladas, as estátuas espalham-se por todo o perímetro da ilha, que é considerada a porção de terra mais isolada do mundo e localiza-se bem no meio do Oceano Pacífico. Além das moais, a ilha abriga os vulcões Rano Kau e Rano Raraku, e algumas belas praias, como a calma Anakena.
mistica3Foto © Tourism Profile
6. Percorrer os Caminhos de Santiago, Espanha
Guiado pelas estrelas, um camponês chamado Pelayo percorreu o interior da Espanha até Compostela, onde encontrou os restos mortais de São Tiago (ou Santiago), um dos apóstolos de Cristo. A lenda ganhou fama e, desde então, peregrinos (ou não) percorrem diversos caminhos do país até a cidade em busca de momentos de paz e reflexão. O percurso mais tradicional parte da França e percorre 800 km até Santiago. Segundo quem já percorreu o trajeto, mais do que uma viagem, trata-se de um projeto de vida.
mistica4Foto via
7. Ter uma experiência transcendental em Rishikesh, Índia
Foi lá que, nos anos 1960, os Beatles rumaram para se encontrarem com o guru indianoMaharishi Mahesh Yogi, fundador da Meditação Transcendental. É considerada a capital mundial da Ioga e meditação, e todo ano atrai milhares de turistas interessados em conhecer seus diversos templos hindus e centros de meditação, os Ashram.
mistica5Foto via
8. Escalar a Croagh Patrick, Irlanda
Foi aqui que St. Patrick, padroeiro da Irlanda, passou 40 dias e noites jejuando. Apesar de levar apenas algumas horas para chegar ao local, é preciso percorrer um caminho um tanto quanto árduo: uma subida íngreme que culmina no topo da montanha, a 765 metros de altura.Chegando lá, você pode assistir a uma missa e, como recompensa, apreciar a vista exuberante do lado oeste da Irlanda.
mistica6Foto via
9. Ser feliz no Butão
Ser feliz é assunto tão sério nesse país asiático, localizado entre a China e Índia e perto do Nepal, que há uma política pública chamada Gross National Happiness (“Felicidade Interna Bruta”). De acordo com este conceito, o estado se responsabiliza por prover as condições necessárias para que a população possa se concentrar na busca pela felicidade, por meio dos ensinamentos do budismo. Os butaneses vivem em completa harmonia com a natureza e fazem questão de preservar a própria cultura e tradições.
butanFoto via
10. Mergulhar no Mar Vermelho, Egito
O Mar Vermelho, “onde o deserto se encontra com o oceano”, é verdadeiramente um dos ambientes naturais mais exóticos do planeta, e com certeza um dos mais fascinantes. Com 40 milhas de recife, é dotado de formações de corais incomparáveis no mundo submarino. Um encontro inesquecível com a natureza em um lugar originado a aproximadamente 30 milhões de anos.
mistica8Foto © Alexandre Galvo
11. Chegar ao fim do mundo e re-começar na Patagônia, Argentina
“Aqui é o fim do mundo” é uma frase que se vê em todo canto ao se visitar a Patagônia. Contudo, bem que pode ser o re-começo de tudo também. De um lado, os imponentes Andes; no meio, o maior deserto das Américas; do outro lado, enfim, o Oceano Atlântico, repleto de pinguins, focas, baleias e orcas. Uma volta ao mundo em um único lugar!
mistica12

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

Agrofloresta para Agricultura Familiar

A agricultura familiar no Brasil exerce um importante papel como principal fonte deabastecimento de alimentos do mercado interno. Apesar de representar uma significativaparcela na produção nacional, os agricultores familiares ainda carecem de sistemas deprodução apropriados à sua capacidade de investimento, ao tamanho de suas propriedadesrurais e ao tipo de mão-de-obra empregada. 
 
A técnica denominada agrofloresta ou sistema agroflorestal (SAF) é interessante para aagricultura familiar por reunir vantagens econômicas e ambientais. A utilização sustentáveldos recursos naturais aliada à uma menor dependência de insumos externos quecaracterizam este sistema de produção, resultam em maior segurança alimentar e economia,tanto para os agricultores, como para os consumidores. 
 
Nos sistemas agroflorestais de alta diversidade convivem na mesma área plantas frutíferas,madeireiras, graníferas, ornamentais, medicinais e forrageiras. Cada cultura é implantada noespaçamento adequado ao seu desenvolvimento e as suas necessidades de luz, defertilidade e porte (altura e tipo de copa) são cuidadosamente combinadas. 
 
O sistema é planejado para permitir colheitas desde o primeiro ano de implantação, de formaque o agricultor obtenha rendimentos provenientes de culturas anuais, hortaliças e frutíferasde ciclo curto, enquanto aguarda a maturação das espécies florestais e das frutíferas de ciclomais longo. Assim, o maior número de produtos disponíveis para a comercialização emdiferentes épocas do ano e ao longo do tempo, incrementa a renda e aproveita melhor amão-de-obra familiar. 
 
A reciclagem mais eficiente dos nutrientes é uma característica marcante deste sistema deprodução. A biomassa depositada no solo pela queda de folhas, pela poda de ramos e porresíduos das culturas anuais melhora a oferta de nutrientes aos cultivos e favorece a atuaçãode microorganismos benéficos do solo.
 
 Espécies forrageiras perenes permitem a criação de animais, ao mesmo tempo que protegemo solo das chuvas torrenciais, da insolação direta e dos ventos secos, típicos das regiõestropicais. A melhor adaptação da agrofloresta ao clima tropical, comparada a outros sistemasde produção de alimentos, deve ser considerada na tomada de decisão pela sua adoção. 
 
Em suma, a diversificação de produtos, a maior segurança alimentar, a sustentabilidadeambiental, o incremento na fertilidade do solo e a redução gradativa nos custos de produçãofazem da agrofloresta uma excelente opção para a agricultura familiar no Brasil.
 
Desenho da Agrofloresta
A reunião de diferentes culturas em um mesmo sistema de produção exige um planejamentoda distribuição espacial das plantas e da sua evolução no tempo. 
 
O planejamento de sistemas biodiversos (com muitas espécies) leva em conta asnecessidades de luz, o porte, a forma do sistema radicular de cada espécie e seucomportamento no tipo de clima e de solo local. Além disso, é considerado o efeito de cadaespécie no crescimento e produção das demais espécies do sistema ao longo do tempo edentro do espaço disponível. Á este processo denomina-se desenho de um sistemaagroflorestal. 
 
Assim, no desenho da agrofloresta pensamos no espaço horizontal (distância entre duasplantas medida pelo chão) e também no espaço vertical , porque nestes sistemas planta

Homenagem a Lombardi, o locutor do Silvio Santos - material inédito

terça-feira, 2 de dezembro de 2014

Índio vende filha a homem branco por R$ 2 mil

Copyright© 2008-2014 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início