terça-feira, 6 de outubro de 2009

Mãe bate em ex-marido para defender filha de abuso sexual

Fonte: Jacqueline Lopes do midiamax
Edição: Meider Leister
Para defender filha de 12 anos de abuso sexual, mãe entrou em luta corporal com o suspeito que acabou preso pela PM (Polícia Militar) na manhã de hoje no Jardim Los Angeles, em Campo Grande.

A menina Lúcia (*), 12, dormia no quarto sozinha. A mãe Rosana (*), 33, estava no outro cômodo a menos de 10 metros da filha quando às 3 horas levantou para ir ao banheiro, que fica ao lado de onde estava a adolescente.

Rosana pensava que o ex-marido, pedreiro, dormia na varanda, fora da casa.

O casal manteve relacionamento por 3 meses e há 15 dias já não vivia mais como marido e mulher. Ela, vendedora de picolé, considerava o ex, pedreiro, apenas um amigo, alguém de confiança e fora de qualquer suspeita.

Susto

Quando foi ao banheiro, Lúcia olhou a filha de 12 anos que dormia e se assustou ao ver escondio no canto do quarto de costas, vestido apenas com cueca o ex-marido. Ele tentava se esconder atrás da cortina e sair pela porta atrás do tecido. Mas, não adiantou.

A mãe não teve dúvidas de que ele tentaria abusar sexualmente da menina. Aos gritos, foi para a varanda e o suspeito fingia dormir no colchão. Ele estava todo coberto. Rosana puxou a colcha e viu ele só de cueca.

Os dois entraram em luta corporal. “Eu nunca desconfiei dele. A gente só desconfia de quem não deve. De quem deve desconfiar a gente não desconfia”, diz a mãe quase 8 horas após o confronto, na varanda da casa. Nervosa, ela ainda tremia .

O suspeito fugiu da ex-mulher, se escondeu no matagal e ela o procurou. Às 7 horas ele voltou à casa, mas novamente Rosana bateu nele. No rosto dela, a marca do murro que ele teria dado no queixo dela.

“Para defender meus filhos eu faço tudo, fiquei cega”, diz a mãe.

O pedreiro foi preso pela PM e está em uma cela da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente. Pai de quatro filhos, ele era separado da ex-mulher, teve um relacionamento com Rosana. À polícia ele defendeu-se e disse que não lembra do que aconteceu porque estava embriagado.

Confiança

Mas, Rosana não teve dúvidas. Ela tem quatro filhos de 14, 12, 8 e 7 anos. “Vende picolé para criar meus filhos graças a Deus. Eu não quero mais que ele apareça por aqui. Fiquei muito nervosa. Tem mãe que prefere ficar do lado do homem do que proteger seus filhos. Eu não!”.

“Eu nunca imaginei que ele fosse alguém que não desse para confiar. Se não fosse a minha mãe, eu nem sei o que ele poderia ter feito”, diz Lúcia.

O suspeito deverá ser solto e indiciado por perturbação da tranquilidade porque não houve consumação da suspeita de estupro, segundo a delegada Regina Márcia Rodrigues de Brito Mota

Garota de 12 anos mostra o canto por onde o ex-padrasto saiu escondido

Para Rosana, além do instinto materno da proteção o fato foi uma reação diante da quebra de confiança. "Era uma pessoa de dentro da minha casa, do nosso convívio".
(*) Nomes ficticios para proteger a integridade da adolescente conforme prevê o ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente)

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início