terça-feira, 30 de março de 2010

Saúde Realizou 1ª Audiência Pública de Combate à Dengue


Na noite do dia 24 de março, a Secretaria Municipal de Saúde, realizou a 1ª Audiência Pública de combate a dengue nas dependências da feira livre, onde foi apresentada a situação da dengue em nosso estado e município e as medidas tomadas para o seu combate.

Durante a audiência, alguns tópicos foram destacados como determinantes para um rápido e eficiente controle da doença, tais como o desenvolvimento de ações intersetoriais. “O combate não deve envolver apenas a saúde, mas também outros setores como a limpeza urbana, educação, tributação, planejamento, defesa civil e a comunidade em especial,” explicou Favaretto (na foto a esq.) .

Outro tópico revela a importância do compartilhamento das estratégias entre os municípios da Região. O diretor do Escritório Regional de Saúde Dr. Vinicius Faria destacou a necessidade dos municípios estarem se comunicando e fomentando as ações entre os mesmos, por meio do Plano de Combate à Dengue, projetado em conjunto com a Secretaria de Estado de Saúde. "Água Boa possui um fluxo constante de pessoas. Por isso, são necessárias ações conjuntas entre os municípios que fazem parte do consorcio intermunicipal de saúde”, relatou o Diretor

No evento também esteve presente dando o uso da palavra o Dr. Anderson Gomes Junqueira, juiz da comarca desta cidade, como sempre muito dedicado e prestativo a comunidade explicou sobre a parte legal de cobrança de multa conforme a Lei municipal Nº637 De, 02 de Abril de 2002 que “DISPÕE SOBRE A INSTITUIÇÃO DO PROGRAMA MUNICIPAL DE COMBATE À DENGUE E DA OUTRAS PROVIDENCIAS” onde autoriza a aplicação de multas e prevê outras penalidades para moradores e comerciantes que não tomarem os cuidados necessários para evitar a proliferação de focos do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue. As multas variam de acordo com a lei, e serão aplicadas nos casos em que, após receberem advertência, os moradores não adotem as medidas necessárias. O alvo da penalidade são os responsáveis por estabelecimentos públicos, privados, comerciais, entre outros, que não garantam a higiene de suas propriedades, permitindo o acúmulo de lixo e focos que facilitam a proliferação do mosquito da dengue. Na oportunidade, Dr. Anderson enfatiza que se necessário for, será realizado um mutirão judiciário de combate a dengue.

A necessidade de uma ação conjunta e eficiente, segundo a vigilância do estado e município, destaca-se, principalmente, pelo aumento do número de casos de dengue clássica e hemorrágica, além do aumento da gravidade e da crescente notificação de casos em crianças. De 1º de janeiro até 20.03, a notificação é de 27.958 casos da doença no estado e 66 no município de Água Boa.

Número de casos acumulados de Dengue referente 2009 e 2010 com percentual de aumento das notificações no mesmo período, dos municípios da Regional de Água Boa/MT.

O principal objetivo desta audiência, para a eliminação dos focos da doença é a efetivação de uma parceria com a sociedade civil. Foi destacada a necessidade de transformar a informação que o cidadão possui em atitude, pois cerca de 80% dos criadouros do mosquito estão localizados dentro das residências. Constata-se que 32,06% dos criadouros estavam em materiais descartáveis acumulados nas residências. Os pratos e jarros de plantas são responsáveis por 19,82% e os pneus por 7,5%.

Para reforçar as informações sobre a doença para a população, a Secretaria Municipal de Saúde realiza diariamente com sua equipe mobilizações como: palestras em escolas, empresas e divulgações da real situação do município por meio de campanhas, rádios e TV.

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início