quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Salas verdes do Ministério do Meio Ambiente vão receber cartilha sobre uso consciente de embalagens


Fonte: Agência Brasil
Edição: Meider Leister

As cerca de 350 salas verdes do Ministério do Meio Ambiente em todo o país vão receber a partir deste mês uma cartilha ambiental com informações sobre o consumo consciente e as possibilidades de reciclagem de embalagens. O material, que será distribuído pelo ministério, traz ainda atividades lúdicas específicas para o público infantil, como propostas de construção de brinquedos e objetos diversos com a utilização de embalagens usadas.

O projeto Sala Verde, coordenado pelo Departamento de Educação Ambiental do ministério, é uma iniciativa que prevê a formação de espaços, vinculados a instituições públicas ou privadas parceiras, onde são desenvolvidos programas e ações educacionais voltados à questão ambiental.

De acordo com a diretora do Instituto de Embalagens, responsável pela elaboração da cartilha Nós, as Embalagens e o Meio Ambiente, Assunta Camilo, o objetivo é aproveitar a curiosidade natural das crianças para promover o uso consciente dos recursos naturais, incentivando o descarte responsável e minimizando os impactos ambientais por meio da informação.

"As crianças estão muito expostas a todo o tipo de notícias e elas já começam a se preocupar com essas questões [ambientais], afinal isso está muito mais relacionado ao futuro delas do que ao nosso", disse. "Elas estão curiosas e buscam informações, se não dermos as orientações de forma clara e correta podemos perder uma força importante, porque elas têm a capacidade de orientar também os pais e se mobilizam muito mais do que em idades mais avançadas", explicou.

Segundo Assunta Camilo, entre as atividades propostas está a confecção de um posto de gasolina de brinquedo, kits de escritório, porta-lápis, entre outros, com o uso de embalagens. A cartilha também ensina os pequenos leitores a identificar as lixeiras de coleta seletiva.

Ao todo foram produzidos 30 mil exemplares que devem atender 300 mil crianças, não apenas nas salas verdes, mas também por meio da aquisição por escolas das redes privada e pública e da comercialização em redes de livrarias. A diretora do Instituto de Embalagens explicou que o material é impresso em papel reciclado, impermeável e de alta resistência, para que cada criança, após ler a cartilha, possa repassá-la a colegas.

Para o coordenador da Sala Verde do município fluminense de Arraial do Cabo, na Região dos Lagos, André Cavalcanti, o material poderá ser utilizado em diversos projetos desenvolvidos no local.

"Além de serem disponibilizados na nossa pequena biblioteca, aberta à população, os livros podem servir de base para as iniciativas de educação ambiental que já desenvolvemos aqui, como o projeto Jovens Guardiões Ecológicos, que promove a consciência ambiental em jovens de comunidades carentes, no contraturno escolar, para eles sejam multiplicadores dos conceitos aprendidos", afirmou.

O Ministério do Meio Ambiente participou como consultor técnico no desenvolvimento das cartilhas. O Instituto de Embalagens, criado em 2005, é uma entidade que promove cursos e pesquisas e elabora publicações técnicas sobre o desenvolvimento e o uso consciente de embalagens.

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início