sábado, 12 de março de 2011

Onça pintada do Zoo de Goiânia morre após cirurgia

Gal­ti­ery Ro­dri­gues / www.ohoje.com.br

No do­min­go de car­na­val, por vol­ta das 12 ho­ras, o Zo­o­ló­gi­co de Go­i­â­nia per­deu mais um dos ma­mí­fe­ros do plan­tel. Uma on­ça pin­ta­da ma­cho, cha­ma­da Ri­car­do, fa­le­ceu du­ran­te o pe­rí­o­do pós-ope­ra­tó­rio de­pois de pas­sar por pro­ce­di­men­to ci­rúr­gi­co pa­ra tra­tar uma tor­ção gás­tri­ca, de­tec­ta­da na noi­te de sex­ta-fei­ra (4). Ela foi en­ca­mi­nha­da de ime­di­a­to pa­ra a clí­ni­ca Pe­ga­sus, lo­ca­li­za­da na Vi­la Re­gi­na, re­gi­ão oes­te de Go­i­â­nia, on­de foi ope­ra­da. Já no Zoo, após o tra­ta­men­to, re­ce­ben­do an­ti­bi­ó­ti­cos e te­ra­pia, o ma­cho não re­sis­tiu.

A on­ça pos­su­ía ida­de avan­ça­da – pou­co mais de 15 anos – e fa­zia com­pa­nhia pa­ra a fê­mea Su­sa­na, que tam­bém tem ida­de ele­va­da e, ago­ra, é o úni­co exem­plar da es­pé­cie no Zoo. A ve­te­ri­ná­ria Lu­ci­a­na Sil­va de Car­va­lho, que foi quem so­cor­reu o ani­mal, na sex­ta-fei­ra à noi­te, ex­pli­ca que o pro­ble­ma apre­sen­ta­do é gra­ve, exi­ge tra­ta­men­to emer­gen­ci­al, mas quan­do a ví­ti­ma se tra­ta de ani­mal de gran­de por­te a chan­ce de mor­rer ul­tra­pas­sa os 70%.

O di­re­tor do Zo­o­ló­gi­co, Rap­ha­el Cu­per­ti­no, pre­ten­de le­var no­vos ani­mais pa­ra o lo­cal as­sim que re­a­bri-lo pa­ra vi­si­ta­ção. En­tre eles, en­tra­ria uma on­ça pin­ta­da pa­ra acom­pa­nhar a fê­mea, que fi­cou so­zi­nha. Em ju­lho, com­ple­tam dois anos que o Zoo foi fe­cha­do por de­ci­são da Jus­ti­ça e ain­da não tem da­ta pre­vis­ta de re­a­ber­tu­ra, tam­pou­co de con­clu­são das obras de ade­qua­ção às nor­mas pre­vis­tas pe­lo Ter­mo de Ajus­ta­men­to de Con­du­ta (TAC), as­si­na­do em se­tem­bro de 2009. 

Cu­per­ti­no sa­li­en­ta, no en­tan­to, que pri­o­ri­za­rá pa­ra con­se­guir ani­mais de ou­tros Zo­os, ou se­ja, que já es­te­jam ha­bi­tu­a­dos a vi­ver em san­tu­á­rios e jar­dins de vi­si­ta­ção, além de pos­su­í­rem me­lho­res con­di­ções de sa­ú­de. “Bi­chos de Cen­tros de Tri­a­gem de Ani­mais Sil­ves­tres (Ce­tas) ou cap­tu­ra­dos pe­lo Iba­ma, ge­ral­men­te, apre­sen­tam mui­tos pro­ble­mas por cau­sa da de­bi­li­da­de em que são en­con­tra­dos.”

Ele acre­di­ta que se­rá fá­cil en­con­trar uma no­va on­ça pa­ra ocu­par a va­ga dei­xa­da pe­lo ma­cho Ri­car­do. Se­gun­do ele, exis­tem zo­o­ló­gi­cos no Bra­sil, ape­sar de a es­pé­cie cons­tar na lis­ta dos ani­mais em ex­tin­ção, que pos­su­em ex­ces­so de exem­pla­res e, des­sa for­ma, te­ri­am in­ten­ção de do­ar a fim de di­mi­nu­ir a po­pu­la­ção do plan­tel. Rap­ha­el se diz cha­te­a­do pe­lo ocor­ri­do, por­que é na­tu­ral se ape­gar mais aos ma­mí­fe­ros e a on­ça era um ani­mal im­por­tan­te do Zôo. 

A car­ca­ça per­ma­ne­ce nas de­pen­dên­cias do lo­cal, em um dos fre­e­zers do de­par­ta­men­to de Ve­te­ri­ná­ria. A in­ten­ção da di­re­ção é le­vá-la pri­mei­ra­men­te até o mu­seu do pro­fes­sor Jo­sé Idá­sio, que fun­cio­na no se­tor Cam­pi­nas. No lo­cal, ela pas­sa­ria por pro­ces­so de ta­xi­der­mi­za­ção, ou se­ja, em­pa­lha­men­to e re­tor­na­ria de­pois pa­ra com­por o acer­vo do Mu­seu de Zo­o­lo­gia, que fi­ca den­tro do Zo­o­ló­gi­co. Pa­ra is­so ocor­rer, po­rém, o de­par­ta­men­to de fau­na do Iba­ma pre­ci­sa ser co­mu­ni­ca­do.

In­de­ni­za­ção
De 2008 pa­ra cá qua­se 300 ani­mais mor­re­ram no Zôo, fa­to que mo­ti­vou a in­ter­di­ção do lo­cal. Den­tre os óbi­tos, três não eram de pro­pri­e­da­de do mu­ni­cí­pio, co­mo as gi­ra­fas Kim e Ti­co e a ze­bra Sa­fi­ra. Os três eram do Le Cir­que e es­ta­vam em Go­i­â­nia gra­ças a me­di­da ju­di­cial. 

Po­rém, no fi­nal do mês pas­sa­do, o cir­co ga­nhou na Jus­ti­ça (se­gun­da ins­tân­cia) o di­rei­to de re­a­ver os ani­mais. Co­mo os três mor­re­ram sob os cui­da­dos do Zôo de Go­i­â­nia, os pro­pri­e­tá­rios do Le Cir­que pro­me­te­ram que vão en­trar com ação de in­de­ni­za­ção con­tra o mu­ni­cí­pio. Rap­ha­el não quis alon­gar so­bre o as­sun­to, pois se­gun­do ele, ain­da não foi no­ti­fi­ca­do da decisão. Mas re­a­fir­mou que não hou­ve ne­gli­gên­cia no tra­to com os ani­mais. “A pró­pria in­ves­ti­ga­ção da Po­lí­cia Ci­vil pro­vou que nós não fi­ze­mos na­da de er­ra­do.” O plan­tel do Zo­o­ló­gi­co ho­je con­ta com 522 ani­mais.

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início