sexta-feira, 17 de maio de 2013

Confira 10 falsos mitos animais

Por em 16.05.2013 as 17:00
Com a maior parte da vida concentrada nas cidades, é cada vez mais difícil, para a maioria de nós, conhecer “pessoalmente” animais fora do zoológico. Essa realidade moderna faz com que muitos bichos na natureza cheguem ao nosso imaginário cercados de estereótipos, nem sempre verdadeiros. Confira dez conceitos sobre animais que não passam de mitos:

10. Coelhos gostam de cenoura e ratos gostam de queijo


Experimente alimentar seu coelhinho de estimação só com cenouras. Não vai dar certo, e em pouco tempo ele estará morto. A base da alimentação dos coelhos são folhas verdes, mais fáceis de mastigar e digerir. Ratos, por sua vez, têm um olfato desenvolvido, capaz de distinguir (e rejeitar imediatamente) um alimento gorduroso e pesado como o queijo. Ratos comem essencialmente grãos e frutas. É duro constatar, mas uma ratoeira com um queijo na ponta provavelmente ficaria às moscas para sempre.

9. Camelos armazenam água na corcova


“Como é que o camelo consegue passar tantos dias caminhando no deserto sem tomar água”? A resposta natural sempre teve algo a ver com um reservatório na corcova. Errado. A substância que os camelos guardam lá é gordura, muita gordura. Para a tarefa à qual eles são destinados, a energia em forma de lipídios é muito mais útil e prática. Para não desidratar, eles são capazes de abaixar vertiginosamente a temperatura corporal, o que diminui o metabolismo e a consequente demanda de água.

8. Peixinhos dourados são estúpidos


Quase todo mundo trata peixinhos de aquário como animais absolutamente sem memória e inteligência, capazes apenas de nadar para lá e para cá com cara de bobos. O mito não precede. Peixinhos dourados possuem lembranças com semanas de duração e são capazes de aprender truques mais complexos do que imaginamos. Cientistas já conseguiram fazê-los puxar alavancas, tocar campainhas e passar por arcos, entre outras tarefas.

7. Guepardos são os animais mais rápidos do mundo


Os guias dos curiosos ensinaram, à maioria de nós, que a chita (ou guepardo) é o animal mais rápido do planeta, podendo atingir até 110 km/h. Isso é uma meia verdade. No chão, sua velocidade é de fato imbatível, mas o campeão de velocidade do reino animal é um pássaro. Hirundapus caudacutus, chamado em português de andorinhão-mongol, já foi cronometrado voando a mais de 112 km/h. Uma pequena diferença, mas ninguém se lembra da pobre ave quando o guepardo é citado.

6. O bicho “fede-fede” é venenoso


Ao longo do tempo, esse animal recebeu um monte de nomes informais: aranha-alho, aranha-bode, aranha-cafofa, aranha-de-chão, ou um dos mais comuns no Brasil, bicho fede-fede. A primeira verdade a ser dita é que este aracnídeo, apesar de todos os apelidos, não é sequer uma aranha. Faz parte da ordem do opiliões. E apesar de serem temidos por possuírem um suposto veneno fortíssimo, eles na verdade não representam nenhuma ameaça. Em alguns lugares do mundo, eles chegam a servir de alimento, e ninguém corre risco por causa disso.

5. Avestruzes enterram a cabeça na areia


Essa é de cair o queixo. Mesmo os mais estudados de nós já devem ter acreditado na manjadíssima cena de um avestruz amedrontado enterrando a cabeça na areia. É uma imagem totalmente fictícia. Podendo correr a mais de 40 km/h e dona de um poderoso chute para se defender, esta ave jamais perderia tempo cavando um buraco no chão para esconder a cabeça.

4. Touros ficam nervosos com a cor vermelha


Imagine como seria a vida de um touro se ele ficasse raivosamente louco sempre que visse a cor vermelha se agitando. Parece difícil conceber a cena, e de fato ela é mentirosa. Touros sequer são capazes de distinguir cores. Apenas convencionou-se, em touradas, o uso de um pano vermelho para atrair a atenção do animal, mas o que o torna agitado são os movimentos do toureiro e o enorme barulho do público no estádio, em êxtase.

3. Cobras reagem à música


Munido de uma flauta, um encantador de cobras impressiona a plateia que o rodeia fazendo-a se erguer lentamente ao som da música. Parece muito bonito, mas a verdade é que as cobras não têm audição para detectar qualquer melodia. O que a faz se levantar são os movimentos do encantador – é ao estímulo visual que elas são treinadas para reagir.

2. Cachorros velhos não podem mais aprender truques


Há quem acredite que os cães precisam ser adestrados ainda jovens, pois não conseguem adquirir habilidades depois de certa idade. Faz-se inclusive um paralelo com seres humanos, já que os idosos também geralmente são tidos como aprendizes mais lentos e menos eficazes. É uma ideia falsa. Estudos mostram que tanto cães quanto pessoas em faixa etária avançada têm capacidades cognitivas tão boas quanto na juventude.

1. Golfinhos são os animais mais dóceis do mar


Em um episódio de Dia das Bruxas do desenho “Os Simpsons”, golfinhos revoltados saem do mar, assassinam pessoas e tomam o poder no mundo dos humanos. A história bizarra é a completa inversão de uma realidade na qual, segundo nossa concepção, o golfinho é justamente o oposto: um amigável habitante dos oceanos. Infelizmente, a imagem real está mais para a primeira opção. Cientistas têm descoberto que eles são capazes de torturar e matar botos indefesos, sem motivo aparente. Perturbador, mas verdadeiro. Se quiser aproveitar a chance para se desiludir completamente com os golfinhos, confira esta lista com outros mitos derrubados sobre esses animais nada fofinhos. [Listverse / Cracked.com]

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início