segunda-feira, 20 de julho de 2009

Caroline em defesa da virgindade

Por Letícia Sorg
Publicado por
Kassu - 20/07/2009 às 07h33


Caroline Celico e seu marido, Kaká, são conhecidos por sua fé religiosa e, desde que tornaram pública a decisão de manter-se virgens até o casamento, motivaram vários debates. Houve os descrentes – que duvidavam que Kaká, já na seleção brasileira de futebol, ainda fosse virgem –, os que zombaram da decisão e os poucos que o apoiaram. Sobre a virgindade de Caroline falou-se menos, talvez porque, por herança de uma sociedade machista, transar só depois do casamento ainda não pareça tão absurdo para as mulheres. Talvez porque Caroline era uma adolescente de 18 anos quando se casou.

No mês passado, Caroline deu seu testemunho na igreja que frequenta sobre a opção pela castidade. Ela começou usando o “quem ama espera”, agora adotado até por celebridades do pop como os Jonas Brothers, e contou que Kaká teve a certeza de que ela era a mulher de sua vida quando soube que ela era virgem e queria continuar assim até o casamento.

Confesso que, mesmo sabendo há tempos dessa opção pela virgindade, ainda me espanto com ela. Reconheço um mérito de ir contra a corrente, de cultivar um relacionamento especial mesmo num meio em que há “oferta em abundância”. Mas não consigo conceber que benefícios manter-se casto pode trazer para um casamento. Tendo até a dizer o contrário: não casar com o primeiro e ter mais intimidade antes de se casar parece ser a receita mais indicada para ser feliz com o parceiro – isso, sim, uma bênção divina.

O que você acha do depoimento de Caroline sobre casar virgem aos 18?

Transcrevi os principais trechos do depoimento, que pode ser visto também no vídeo abaixo.

“Na minha época não tinha a aliança ‘quem ama espera’, mas eu fiz uma aliança com o Senhor. E eu queria dividir um pouquinho com vocês essa experiência dessa aliança que é, em primeiro lugar, com o Senhor. Sei que vocês são muito ministrados sobre isso mas eu queria contar o meu testemunho sobre o assunto. Quando eu conheci o Kaká eu não era convertida e acabei me apaixonando pela Igreja Renascer. Costumo dizer que eu renasci na Renascer, graças a Deus não tive que passar por muita religiosidade por aí que eu ouço… Eu fiz uma aliança com o Senhor e ele tinha colocado no meu espírito ‘casar virgem’. Eu nunca tinha dividido isso com o Kaká ou com ninguém, mas eu sabia que era uma coisa que eu queria muito. Era uma coisa que eu achava bonita mesmo sem entender muito. E eu acabei, um dia, falando para o Kaká. E eu pensei: ‘meu Deus, quando eu falar para ele, ele vai me largar’. Tudo bem que eu tinha 15 anos na época, ele me conheceu com 14, mas eu achava que ele ia me largar. Eu vou falar: ‘eu quero casar virgem’. E teve aquele silêncio em que eu pensei assim: ‘ai, meu Deus, não deveria ter falado’. E ele ficou emocionado e falou: ‘esse era o sinal que eu tinha pedido para o Senhor’. ‘Eu pedi para o Senhor que, se você fosse a pessoa certa para mim, você ia querer fazer essa aliança de se santificar, de esperar até o casamento’. Muitas pessoas questionavam e falavam e perguntavam: ‘Que loucura é essa, por que vocês vão casar agora? Tão novo, tão nova? Tem muita coisa para aproveitar’. O que mais falam é isso: ‘Vocês estão perdendo a adolescência’. Porque a adolescência no mundo é só prostituição, é fumar, beber, se drogar. E eles acham que a gente está perdendo. Tanto é que, quando casamos, saiu em vários jornais que eu e o Kaká, o Kaká acima de tudo, tinha casado virgem. E olha o que eles diziam: ‘é mentira, eles são fanáticos, fizeram lavagem cerebral’. E eu falei: ‘Olha, quero fazer isso mesmo. Quero andar na contramão do mundo, quero confundir o inferno’. Não me arrependo de nada. Teria feito tudo igual porque a bênção que isso trouxe na minha vida… ‘Como você é feliz no seu casamento tão nova?’ Estou indo para o quarto ano de casamento, vai fazer sete anos agora que a gente se conhece. É muito tempo já. E para quem começou novo é uma situação complicada, porque aparecem muitas coisas, principalmente no mundo do futebol, vocês devem ver muitas notícias, de outras pessoas… E é muito assédio, é muita loucura mesmo, muita oferta. O que trouxe a bênção para o meu casamento, o que fez com que hoje eu tivesse um filho maravilhoso, um milagre mesmo do Senhor, foi a santificação no altar de Deus. Uma santificação que não é nada fácil, é difícil, é muito difícil. Mas vale a pena esperar, vale a pena se santificar em tudo porque o que Deus te traz e te abençoa é muito além.”

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início