segunda-feira, 13 de julho de 2009

Tóquio é a cidade mais cara do mundo, aponta pesquisa


São Paulo - Tóquio superou Moscou como a cidade mais cara do mundo para cidadãos estrangeiros, de acordo com a Pesquisa de Custo de Vida Mercer. A segunda colocada é outra cidade japonesa, Osaka, que ficou à frente da capital russa, posicionada no terceiro lugar neste ano. No Brasil, São Paulo continua na frente do Rio de Janeiro, mas a posição caiu de forma expressiva. A capital paulista recuou do 25º para o 72º posto e a cidade carioca saiu do 31º para o 73º lugar. A pesquisa avaliou 143 países.

O levantamento realizado em março fez com que São Paulo e Rio de Janeiro recuassem para a 72ª e 73ª posições, respectivamente, mas, caso o trabalho tivesse sido concluído recentemente, o resultado seria diferente, de acordo com o diretor geral da Mercer para o Sul da América Latina, Alberto Mondelli. "Os números apresentados refletem a realidade de março de 2009, baseada no valor da moeda local, convertida em dólar (norte-americano) naquele mês. Se a pesquisa fosse realizada hoje, São Paulo e o Rio de Janeiro ocupariam um lugar mais alto no ranking, uma vez que o valor do dólar está quase 20% mais baixo do que em março."

Na América do Sul, Caracas, capital da Venezuela, é a mais custosa de todas e ocupa a 15ª vaga. Paris caiu do 12º para o 13º posto, enquanto Nova York subiu do 22º para o 8º lugar. O trabalho realizado pela Mercer levou em consideração alguns parâmetros, como a adoção do dólar dos Estados Unidos como a moeda padrão do levantamento.

Nova York se tornou a base de comparação para a pesquisa e recebeu 100 pontos, o que ajudou na implementação de uma escala em número-índice. Para saber qual foi a evolução do custo de vida, o estudo levou em consideração a variação da inflação e do câmbio entre a moeda de cada país analisado e a moeda norte-americana em março de 2009 ante o mesmo mês de 2008. Em cada cidade, foi avaliada a evolução média dos preços de 200 itens, entre eles alimentação, vestuário, transporte, moradia e entretenimento.

Dólar
De acordo com os responsáveis pela pesquisa, a valorização do dólar perante várias moedas registrada em março levou as cidade europeias a cair no ranking, pois o estudo indica que naquele mês o euro perdeu força ante o dólar. Londres saiu da 3ª posição em 2008 para o 16º lugar em 2009, enquanto Roma variou da 16º para o 18º posto e Frankfurt registrou uma queda do 40º para o 48º posto. No Oriente Médio, Tel-Aviv é a cidade onde os expatriados precisam gastar mais para adquirir uma cesta específica de produtos e serviços, embora tenha recuado no ranking, da 14ª para a 17ª posição. Na China, o destaque foi Pequim, que está agora no 9º lugar, um avanço significativo em relação à 20ª colocação, apurada em 2008.

Com o fortalecimento do dólar em março deste ano, todas as cidades norte-americanas avaliadas pela pesquisa ficaram mais caras. Nova York subiu da 22ª para a 8ª posição. Los Angeles apresentou um avanço do 55º para o 23º posto e Washington avançou do 107º para o 66º lugar. Por causa das atuais condições econômicas na Venezuela, cujo nível de inflação é elevado e deve alcançar 31,5% neste ano, segundo o banco JP Morgan, Caracas registrou uma elevação da sua posição no ranking apurado pela Mercer, pois subiu da 89ª para a 15ª colocação. (Por Agência Estado)

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início