domingo, 10 de abril de 2011

Desflorestação na Amazónia prejudica povos indígenas

Texto João Amâncio | Foto Ana Paula / www.fatimamissionaria.pt - Escrito em português de Portugal
 
A Fundação Nacional do Índio denuncia que 31 por cento da terra dos índios Awa, no Maranhão, foi devastada pela desflorestação ilegal. Grupos isolados são obrigados a abandonar as suas terras
O desaparecimento das zonas florestais tem crescido de forma acelerada nas últimas décadas. Está a avançar para o interior e já chegou a territórios indígenas, até então intocados. Imagens divulgadas pela FUNAI (Fundação Nacional do Índio), há algumas semanas, mostram que índios isolados estão a deslocar-se forçadamente para outras regiões, como Acre, devido à presença de trabalhadores da madeira.

«Eles roubam as aldeias e comunidades ribeirinhas, levam machados e qualquer outro utensílio que possa ser usado como arma», conta Nilson Tuwe Huni Kui, membro da comunidade kaxinauá e presidente da Associação dos Povos Indígenas do rio Humaitá.

O relatório da FUNAI de 2010 indica que a desflorestação ilegal avança para áreas intocadas da floresta amazónica e afecta o território de índios isolados. Um dos povos atingidos é a etnia Awa que vive no estado do Maranhão. Um estudo informa que 31 por cento da terra indígena foi destruída pela desflorestação ilegal.

Segundo Elias Bigio, coordenador geral de Índios Isolados da FUNAI, O desflorestamento é apenas uma das ameaças. «Além da exploração de madeira, tem o avanço da soja, a mineração, prospecção de petróleo e gás e também o narcotráfico».

A exibição de um documentário da série «Human Planet», pela emissora britânica BBC, despertou o mundo para a questão. Produzido com a colaboração da FUNAI, o filme foi realizado durante um voo sobre o território de índios isolados na fronteira do Brasil com o Peru. Veja parte do filme, em inglês, aqui.

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início