quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Nascimento de bezerras gêmeas siamesas chama atenção em Vila Rica

Por Rádio Comunitária Eldorado FM / Robson Garcia

www.eldoradofmvilarica.com.br

Um fato raro aconteceu na tarde da última quarta (03), no sítio Pai e Filho, do senhor Honerio Luziano Ferreira, no projeto de assentamento rural Itaporã do Norte, há 35 quilômetros da sede de Vila Rica, o fato foi o parto gemelar de siameses, o que chamou atenção da comunidade local.
A reportagem da Eldorado FM, foi comunicada pelo o dono da propriedade e pelo senhor José Francisco, que ajudou a fazer o parto. Devido as complicações decorrentes do parto e pelo estado de saúde do animal já estar em situação debilitada, a vaca morreu durante o procedimento. Os animais nasceram já sem vida com 09 meses e 18 dias, conforme fomos informados pelos senhores Honério e José Francisco, que ajudaram no parto.
A equipe de reportagem da Rádio Comunitária Eldorado, foi até a propriedade e registrou o fato. Acompanhou o repórter Robson Garcia, o médico veterinário do Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso da unidade de Vila Rica, Doutor Fernando Salazar, o Engenheiro Agrônomo, Carlos Eduardo, também do INDEA e o vereador Lázaro Gonçalves da Silva.

www.eldoradofmvilarica.com.br

Explicações técnicas
O médico Veterinário do INDEA, Doutor Fernando Salazar, contribuiu com a reportagem da Eldorado FM fornecendo material científico sobre o assunto.
A FORMAÇÃO DE TERATÓPAGOS (gêmeos siameses) ocorre quando a separação do material embrionário é incompleta durante a formação, os gêmeos resultantes poderão apresentar-se ligados por intermédio de uma estrutura comum, que permitirá a comunicação de seus sistemas circulatórios. Tais tipos de gêmeos são denominados teratópagos, o que não é um termo muito apropriado pois, em grego, téras = monstro; pagos = unido, mas é a designação mais freqüentemente utilizada para indicar a união física de gêmeos. Dentre os fatores associados à formação de teratópagos, destaca-se a história de tireoideopatia. Na imprensa leiga os teratópagos são, geralmente, chamados de irmãos siameses. Os teratópagos anacatadídimos incluem os gêmeos toracópagos, que apresentam parte da região torácica em comum, os onfalópagos (do grego, onfalós = umbigo). Os toracópagos e os onfalópagos são, também, freqüentemente denominados de irmãos xifópagos em alusão ao esterno e apêndice xifóide (do grego, xífos = espada). A natimortalidade é bastante alta entre os teratópagos (47%). A incidência de teratópagos é maior nos bovinos em relação às outras espécies domésticas. Nos equinos e no homem, monstros duplos e gêmeos idênticos são extremamente incomuns, enquanto que nos ovinos, suínos, cães e gatos não são raros de serem encontrados (Arthur 1956, Leipold & Dennis 1972). Os fatores que causam duplicidade embrionária ainda são objeto de estudo: gêmeos unidos (monstros duplos) e gêmeos idêntidos parecem ter a mesma origem e resultam de alterações do zigoto. A causa de montruosidades pode ser atribuída a defeitos nos genes das células germinativas ou a influências ambientais que agem no desenvolvimento do feto e a hereditariedade encontra- se frequentemente relacionada (Arthur 1956, Schulze et al. 2006).

www.eldoradofmvilarica.com.br

www.eldoradofmvilarica.com.br

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início