quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Horário de verão começa dia 18 de outubro e vai até 20 de fevereiro de 2010

Riomar Trindade
do Rio de Janeiro
Edição: Meider Leister


O horário de verão este ano começará à zero hora do próximo dia 18 de outubro, quando os relógios deverão ser adiantados em uma hora. Serão 126 dias até a meia-noite de 20 fevereiro de 2010, segundo informou hoje (30) o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS). O governo federal estima que a economia de energia chegará a 5% nos horários de pico de consumo.

A medida foi criada para amenizar as freqüentes faltas de energia em diversas regiões do país durante o verão e, assim, aumentar a segurança do sistema elétrico. Os críticos do horário de verão salientam que a medida é desnecessária, porque os reservatórios das principais usinas hidrelétricas estão cheios e garantem o fornecimento sem problemas.

Segundo o governo, a economia de energia nas regiões Centro-Oeste e Sudeste está estimada em 1.800 megawatts, enquanto a Região Sul deverá ter uma redução no consumo de 500 megawatts. O horário de verão vai vigorar em estados das regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste, além do Distrito Federal.

Comentários:
Enio - 01/10/2009 11:40:00
Sou contra o horário de verão,pois não vejo diferença nenhuma na fatura de energia.Quem lucra com isso, são as concessionárias,e não há compensação para o consumidor.As taxas de criminalidade até aumentam,devido ao tempo ocioso no final de expediente,além de acordar mais cedo, geralmente o cidadão já vai mal humorado ao trabalho. Antes da conclusão das hidrelétricas (Manso e Guaporé) e da Termoelétrica,a desculpa era que compravamos a energia de Goiás. Depois de tanto investimento, exportamos energia, e continuamos pagando a energia mais cara do Brasil,talvez do mundo.E ainda temos que aturar essa medida inóqua,que não se justifica com tantos reservatórios cheios,tanta oferta de energia(Hidrelétricas e Térmica).Até quando????

Seja o primeiro a comentar

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início