sábado, 31 de janeiro de 2009

Administração segue com mesmos secretários do governo passado em Água Boa

31/01/2009 àos 00h55m
Publicado por Meider Leister
AGUA BOA NEWS



A Administração Municipal ainda não definiu mudanças no secretariado para a nova gestão Maurição/Luis Schuster.

Lírio Maggioni segue na Infra-estrutura, o mesmo acontecendo com Luiz Artur na saúde e Lúcia Schuster na educação.

As demais secretarias mantêm as atividades com os mesmos titulares, caso de Germano Zandoná no Desenvolvimento, Fábio Weiler na Administração e planejamento e Maria Aparecida na Ação Social.

Ao final de 2.008, Maurição chegou a declarar que faria grandes mudanças no 1º escalão.
Fonte: Assessoria/Evandro Carlos

GRUPO CLUSTER E GERCINO DISCUTEM PROPOSTA DE CONSTRUÇÃO DE 3.200 CASAS NO MUNICÍPIO.

30/01/2009
Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS


por Ezio Garcia /Notícias NX

Aconteceu na manhã desta quinta feira, 29, no gabinete do prefeito Gercino Caetano Rosa, a primeira reunião de trabalho entre a administração municipal, e o Grupo Cluster –Bioenergia S/A, o grupo que pretende abrir uma frente de trabalho de 50 mil hectares de plantação de cana de açúcar em Nova Xavantina, visando a implantação no município de uma das três usinas de etanol previstas para a região.
A principal pauta da reunião foi a apresentação da proposta do Grupo para a construção de 3.200 casas populares em NX, necessárias para atender a demanda de 4.800 postos de trabalho que empreendimento vai abrir no município.. Deste total, os empresários estimam que 3.200 funcionários sejam casados, e 1.600 solteiros, daí o número de 3.200 casas necessárias.

Pelo projeto, a prefeitura se responsabiliza pela doação de uma área de 200 hectares, dotada de infra estrutura com água, luz e esgoto, contígua (próxima) ao perímetro urbano. A construção das casas será de responsabilidade do Grupo Cluster, cujo projeto prevê a dotação do futuro núcleo habitacional de escolas, praças, igrejas, padarias, mercados, bares, açougues e outros centros de apoio habitacional.

Segundo um dos diretores do grupo presente na reunião, Sr. Mário Burle, além dos 4.800 novos funcionários, que significam cerca de 10.000 novas pessoas circulando, haverá a demanda de prestação de serviços para o funcionamento da usina, tais como eletricistas, oficinas elétricas, insumos, adubos, revenda de peças, de tratores, sem contar o vigoroso impacto do empreendimento na rede comercial local, como bares, lojas, restaurantes, farmácias e outros.

“Só para você ter uma idéia” diz otimista o Secretário Municipal de Administração, Profº Luís Antonio, “ 4.800 empregos, à uma média salarial de R$ 900,00, dá R$ 4.320.000,00, ou seja, quase R$ 4,5 milhões circulando todos os meses na cidade. Muda tudo” diz o professor. Os técnicos do Grupo Cluster ficaram de retornar ao município dia 11 de fevereiro, para a segunda reunião de trabalho, quando a prefeitura deverá definir se aceita ou não construir o núcleo habitacional dentro do município.

Da parte da prefeitura, há a preocupação com relação ao impacto social e ambiental do projeto. “Não estamos de olhos fechados para essa questão” disse Luís Antonio, que é um dos fundadores e ex-presidente da Organização Não Governamental “Natureza é Viva”, com sede em Nova Xavantina.

Por que os presidentes vieram ao Fórum?

Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS




O encontro de cinco presidentes marca um dos pontos mais altos de todas as edições do FSM. Todos se legitimam e legitimam o evento, que torna-se definitivamente parte da agenda política mundial. Lula, que esteve duas vezes em Davos, decidiu não subir aos alpes suíços neste ano.

Gilberto Maringoni


BELÉM - A quinta feira, 29, foi o principal dia do Fórum Social Mundial de 2009. Em um evento tradicionalmente fragmentado, difícil de ser coberto jornalisticamente, tal a multiplicidade de debates e encontros de qualidade, a síntese foi feita pela política. Pela grande política.

Três iniciativas de envergadura marcaram o dia e tornaram o encontro de Belém um marco da agenda política internacional. O primeiro foi a assembléia realizada à tarde entre os movimentos sociais e os presidentes da Venezuela, da Bolívia, do Paraguai e do Equador. O segundo, simultâneo, marcou a presença da ministra Dilma Rousseff e de várias dirigentes políticas do Brasil e do exterior. E a apoteose aconteceu no ato para 12 mil pessoas, com a presença de Lula e um bis de Hugo Chávez, Evo Morales, Fernando Lugo e Rafael Correa. Entre os dois atos com os chefes de Estado, aconteceu uma rápida reunião fechada entre eles, uma mini cúpula latinoamericana. É algo inédito no âmbito de um encontro de movimentos sociais de todo o planeta. Até mesmo a ex-candidata à presidente da França, Ségolène Royal, marcou presença em terras amazônicas. Veio para ouvir, ressaltou.

Melhores momentos
Foi um dos melhores momentos de todas as oito edições do FSM. Lula, que participou de quatro das iniciativas em Porto Alegre e marcou presença por duas vezes em Davos, decidiu não subir aos montes suíços neste ano. Mais do que ninguém, ele sabe do possível desgaste em associar sua imagem à parte dos financistas responsáveis pela crise econômica internacional.

Chávez, por sua vez, reconhece há muito a importância do evento ao qual compareceu por três vezes. Em 2003, acossado por um locaute petroleiro de dois meses que quase o derrubou, decidiu vir ao Fórum com o objetivo de ganhar legitimidade internacional para seu enfrentamento.

O que leva chefes de executivo a abrirem espaço em suas agendas para comparecerem a um encontro dessa natureza? Certamente votos é o que não vêm buscar. Mas procuram solidificar ou recompor vínculos objetivos e simbólicos com setores da sociedade que alicerçaram suas trajetórias e, em última análise, sustentam suas administrações. O caminho não é de mão única. O encontro ganha peso e densidade política internacional com isso.

Certas divergências organizativas ficaram para trás. Não se questiona mais uma suposta autonomia entre Estado e Fórum Social, em uma clara indicação que o debate em seu interior mudou de patamar, para melhor.

Disputa
Nem tudo é tranquilo, no entanto. As duas atividades desta quinta com os chefes de Estado envolveram uma disputa, estabelecida entre o Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST) e o governo Lula. Descontentes com o que avaliam serem os poucos avanços da reforma agrária, os dirigentes do movimento decidiram não convidar o presidente brasileiro para a atividade do período da tarde.

Sua própria realização por pouco não fica comprometida pela absoluta falta de lugares disponíveis na capital paraense, nesses dias de grandes e pequenas plenárias. A saída foi buscar o auxílio do PSOL, que havia obtido a cessão de um ginásio universitário para uma plenária sindical. O partido abreviou suas atividades e com isso, cerca de 1,2 mil ativistas puderam participar de um encontro que expressa "um momento mágico da América Latina", segundo as palavras de Rafael Correa.

Diálogo
Em um diálogo inédito, os quatro mandatários ouviram previamente demandas de representantes dos movimentos, o que levou Morales a lembrar que "somos presidentes originários das lutas sociais continentais". O líder boliviano era o mais entusiasmado de todos. Acabara de vencer o plebiscito que aprovou por larga maioria a nova constituição do país, reduzindo o espaço institucional da oposição de direita.

Em sua intervenção, Fernando Lugo decidiu radicalizar. Afirmando desejar unificar as lutas regionais, ressaltou que isso não implica "abrir mão de nossos direitos". E emendou sua principal reivindicação: "Queremos o preço justo e a possibilidade de dispormos livremente de nossa energia. Lula não pode dizer não, pois o tratado foi firmado entre duas ditaduras".

O ex-bispo referia-se ao tratado de Itaipu, firmado em 1973 entre Brasil e Paraguai, que dá preferência ao primeiro na compra e na fixação dos preços do excedente energético paraguaio. "Queremos voltar conquistar a nossa dignidade e negociar de igual para igual. Enquanto não alcançarmos isso, nossa alma não terá paz". Mais tarde, na presença de Lula, Lugo faria um discurso mais moderado, não entrando em maiores polêmicas.

O encontro com Lula
À noite, cerca de 12 mil pessoas aglomeraram-se no Hangar, imenso salão de convenções, em atividade promovida pelo Ibase, pelo Instituto Paulo Freire e pela Central Única dos Trabalhadores. Telões ampliavam as imagens dos cinco dirigentes. As falas foram curtas e mais objetivas.

Chávez que se estendera por 53 minutos à tarde discursou por apenas 15. As ovações ao anúncio de seu nome só foram suplantadas quando Lula tomou a palavra para um discurso iniciado com uma homenagem aos mortos nas lutas pela democracia no continente. Pedindo a unidade das forças populares contra a crise, o brasileiro não buscou esconder diferenças. "É melhor ter divergências e sentar para conversar em torno de uma mesa do que fazer de conta que tudo está indo bem. Agora o jogo é o da verdade".

Eleições
João Pedro Stédile chegou a falar, no encontro com os movimentos populares, que as eleições não resolvem os problemas da região. "Se fosse assim, a Itália estaria muito bem", disse ele. Não é bem assim. Todos os mandatários latinoamericanos foram eleitos, reeleitos e referendados em seguidas consultas populares. Se a democracia real não conseguiu resolver os problemas, as soluções devem ser buscadas nas combinações de demandas sociais com o alargamento dos espaços institucionais. O próprio Fórum Social Mundial não existiria se governos democráticos não tivessem sido eleitos e investido dinheiro e estrutura em iniciativas desse tipo.

Nos tórridos dias de Belém, muitos se queixam de falhas na organização. É natural, mas tudo acaba se articulando. Davos, por sua vez, aparenta funcionar com a precisão dos outrora famosos relógios suíços. Mas a desorganização que suas diretrizes provocaram no mundo tem poucos paralelos na história recente...

Fotos: Eduardo Seidl/Carta Maior

sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

PRINCIPAIS NOTÍCIAS DA REGIÃO -30/01/2009

Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS


Por Inácio Roberto - Rádio Interativa FM - Jornal Interativo - Água Boa/MT


SMEC prepara ano letivo 2.009

ÁGUA BOA – A secretaria municipal de educação vai reunir todos os professores e coordenadores pedagógicos da escolas na semana que vem. A secretária de educação do município informa que nos dias 4, 5 e 6 de fevereiro, haverá reuniões em todas as escolas municipais, para preparar o ano letivo de 2.009. Lúcia Schuster declarou que as aulas na rede municipal terão início no dia 9 de fevereiro próximo.

Preparativos para o Carnaboa 2.009

ÁGUA BOA – A comissão organizadora do Carnaboa 2.009 definiu vários detalhes relacionados ao evento desse ano. O Carnaboa será realizado de 20 a 24 de fevereiro próximos, tendo por lugar o Parque de Exposições Antonio Tura, com entrada franca. No dia 5 de fevereiro, a comissão organizadora vai leiloar os bares que terão direito a vender bebidas durante o evento. As informações são de Verania Volpi e Arlei Giacomolli, da comissão organizadora.

Aprovados ao Vestibular Unemat

NOVA XAVANTINA – Os aprovados no vestibular 2009 da Unemat devem ficar atentos quanto ao período de matrículas que começa segunda-feira e segue até quinta, conforme prevê o edital. As aulas estão marcadas para começar em 2 de março também nos campi de Alta Floresta, Alto Araguaia, Barra do Bugres, Cáceres, Colíder, Juara, Pontes e Lacerda, Nova Xavantina e Tangará da Serra.

Mais um assalto – 3º caso na semana

ÁGUA BOA – Mais um assalto à mão armada aconteceu na noite de ontem, 29/01 em Água Boa. Um elemento com uma camiseta enrolada no rosto invadiu a casa de Humberto Nogueira, na rua 27 esquina com a rua 12, no setor Guarujá. O marginal estava armado de uma espingarda e apontou a arma para Humberto, sua esposa e duas filhas do casal. Ele conseguiu roubar R$ 19,00 em dinheiro e um aparelho de telefone celular. O assalto aconteceu por volta das 21hs. Imediatamente, as polícias civil e militar foram acionadas e iniciaram as investigações. A polícia acredita que o assaltante estava de moto, pois não foram encontrados vestígios dele. Também na mesma noite, uma segunda vítima sofreu tentativa de assalto. A polícia acredita se tratar do mesmo elemento que está praticando esses crimes. Foi o terceiro assalto (ou tentativa) ocorrido em Água Boa na semana passada. A polícia pede que as pessoas redobrem a atenção, evitando portas abertas a noite. O primeiro assalto tinha sido registrado no dia 27/01, quando um elemento encapuzado entrou na residência de Irineu ‘Kiko’ Schneider, na rua 03, no centro da cidade. Irineu Schneider não estava no momento da invasão. Com uma arma de fogo, o bandido ameaçou a empregada e trancou ela no banheiro. A empregada começou a gritar por socorro e o bandido fugiu do local. Nada foi roubado. Há cerca de 2 anos, houve uma onda de assaltos na cidade. Foram pelo menos 9 ações até que a polícia conseguiu prender o responsável pelos crimes, reconhecido pelas vítimas. Joaquim Portilho, chefe das operações da Polícia Civil local salientou que não existe crime perfeito. “Sempre alguém fica sabendo do caso e mais dia, menos dia, a polícia vai prender o sujeito que anda amedrontando a cidade”, declarou ele. Denúncias anônimas podem ser feitas ao telefone (66) 3911-8001.

Atendimento da saúde em rimo reduzido


ÁGUA BOA – A Direção da Secretaria de Saúde do município comunica que os atendimentos continuam em ritmo reduzido em todas as Unidades devido ao período de férias e de licença prêmio dos funcionários efetivos da saúde. Enquanto isso, a saúde aguarda a posse dos novos funcionários aprovados no Concurso Público para a retomada de todas as suas atividades neste início de ano.

TJ mantém sentença de pronúncia contra réu

QUERÊNCIA – Quando restar comprovado nos autos a materialidade e os indícios de autoria do crime de homicídio, impõe-se a pronúncia do réu para a apreciação do mérito da questão. Sob esta ótica, a Segunda Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Mato Grosso manteve sentença que pronunciou um réu pela prática de crime de homicídio qualificado. O crime teria acontecido em um hotel no município de Querência. Com essa decisão, o réu será submetido ao julgamento pelo Tribunal do Júri Popular da comarca de Querência. O nome do réu não foi revelado pelo Tribunal de Justiça.

DIA DE CAMPO MOVIMENTA AGRICULTORES DE QUERÊNCIA.

Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS


Nessa manhã de sexta muito quente na cidade, a Syngenta atravéz da Sinagro mobilizou muitos agricultores no Dia de Campo para mostrar experimentos realizados no plantio da soja em Querência. Apesar de muitos agricultores estarem em plena colheita, foi grande a presença durante as explanações técnicas e na visitação aos diversos tipos de experiências testadas.

A via de acesso em frente a Cargill ficou tomada de veículos que estiveram prestigiando o evento.

VEJA MOMENTOS DO DIA DE CAMPO EM QUERÊNCIA NAS FOTOS EXCLUSIVAS DO QUERÊNCIA HOJE.




Pedro Ferreira é eleito presidente da AMM

30/01/2009 às 18:20
Publicado por Max Weber
AGUA BOA NEWS





O prefeito de Jauru, Pedro Ferreira (PP), acabou de ser eleito o novo presidente da Associação Mato-grossense dos Muncicípios (AMM), vencendo a chapa do prefeito de Planalto da Serra, Dênio Peixoto (DEM).

Ferreira teve 83 votos, enquanto Dênio teve apenas 12. O processo eleitoral foi bastante tumultuado, mas a vitória de Pedro já era esperada.Fonte: Olhar Direto
Da Redação/Humberto Frederico

Mais informações em instantes

Uma hora a poluição que você causou vai voltar

*Por Max Weber Leister
AGUA BOA NEWS


Amigo internauta boa tarde
Gostaria que vc usasse alguns minutos do seu precioso tempo para ver o video abaixo e os relacionados. Reflita, e bom fim de semana.





*Max Weber, 18 anos é acadêmico em Gestão Ambiental Unopar/Cathedral e um dos editores deste jornal.

Sumaré paga para quem tiver casa livre de dengue

A Prefeitura visitará 15 casas, após um sorteio, e pagará R$ 1 mil para quem tiver o local livre de criadouros

30/01/2009 - 16h20 . Atualizada em 30/01/2009 - 16h26

Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS



Sumaré irá premiar os moradores que contribuírem na ação contra a dengue. A Prefeitura visitará 15 casas, após um sorteio, e pagará R$ 1 mil para quem tiver o local livre de criadouros
(Foto: Adriano Rosa/AAN)

Sumaré irá premiar os moradores que contribuírem na ação contra a dengue. A Prefeitura visitará 15 casas, após um sorteio, e pagará R$ 1 mil para quem tiver o local livre de criadouros. Mas, para faturar os prêmios, os vizinhos também precisam ter as casas limpas. Para isso, irão receber R$ 500 como incentivo. Somente neste ano a cidade teve 124 moradores com suspeita da doença e um caso confirmado — um homem que vive no Jd. São Judas Tadeu, na Área Cura.

Equipes da Vigilância em Saúde Coletiva panfletarão nos bairros sorteados, para comunicar os moradores sobre a importância de eliminar criadouros do mosquito Aedes aegypti e avisar sobre o dia da vistoria. O Programa Casa Sem Dengue foi implantado em Sumaré no ano passado. Dos 45 imóveis visitados, 24 acabaram premiados. “Já me preocupo com a limpeza e agora a gente fica na expectativa de ser sorteada”, diz a dona de casa Sirley Moraes, 61 anos.

O sorteio das casas que serão vistoriadas será realizado na terça-feira, às 8h30, no plenário da Câmara Municipal de Sumaré, na Travessa 1ª Centenário, no Centro.(Agência Anhanguera de Notícias)

Resumo de Notícias Agrícolas - 30/01/2009

Esta página é um oferecimento de:
AGROMELO PRODUTOS AGROPECUÁRIOS
Rua 01 esquina com av. Roncador
Fone:(66) 3468-1819 - Água Boa
- MT

Agromelo em sua sede própria

Edição: Meider Leister
AGUA BOA NEWS
Fonte: Jornais de Notícias Agrícolas


Agricultores vão plantar 200 milhões de árvores
30/01 - 14:18

Plantar 200 milhões de árvores em todo o Pará nos próximos quatro anos é o desafio de trabalhadores da agricultura familiar, homens e mulheres, filiados à Federação dos Trabalhadores na Agricultura (Fetagri). Nesta quinta-feira, 29, a Federação lançou a campanha, com plantio simbólico de mudas de diversas espécies da região, como mogno, ipê, cedro, jatobá, freijó, entre outros, em uma cerimônia que contou com a participação do secretário estadual de Meio Ambiente, Valmir Ortega.

O secretário disse que o compromisso dos trabalhadores, assumido ainda no Grito da Terra, é bem-vindo e deve servir como exemplo a ser seguido por toda a sociedade. A ação da Fetagri é a participação dos agricultores na campanha lançada pelo governo do Estado que prevê o plantio de um milhão de árvores em todo o território paraense em quatro anos, e pretende recuperar um milhão de hectares de terras com plantio de floresta.

O secretário criticou atividades como o plantio de soja e cana-de-açúcar e a pecuária, que "provocam desmatamento, empobrecendo o solo e assoreando nossos igarapés". Segundo Ortega, meio milhão de hectares de florestas foram derrubados no ano passado só no Pará, para permitir essas atividades. Em toda a Amazônia foram derrubados um milhão de hectares, informou o secretário. "Nossa proposta com o programa é gerar desenvolvimento sustentável, atividade econômica com reflorestamento, com manejo florestal comunitário", defendeu o titular do meio ambiente.

O presidente da Fetagri, Carlos Augusto Santos Silva, disse que a ideia da Federação colaborar com a campanha do governo estadual é viável já que a Fetagri reúne 900 mil trabalhadores, distribuídos em 142 sindicatos rurais. "Nós, da Fetagri, sabemos que essa é uma tarefa difícil, mas para a Fetagri não tem tarefa difícil para defender a Amazônia". A mobilização dos filiados para o plantio das árvores é uma forma da Federação mostrar que "os devastadores da floresta não são os homens e mulheres trabalhadoras rurais e extrativistas". Ele acrescentou que os trabalhadores tem clareza que não basta apenas debater a questão ambiental, mas que é fundamental realizar ações concretas como estas para contribuir para salvar o planeta.

A cerimônia de lançamento da campanha foi realizada na tenda da Fetagri, instalada na Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), com a presença de representantes da Secretaria de Agricultura (Sagri), Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), Instituto de Desenvolvimento Florestal (Ideflor), Central Única dos Trabalhadores (CUT) e Confederação dos Trabalhadores na Agricultura (Contag). No espaço da Ufra foram disponibilizadas sementes para a obtenção de 100 mil mudas.

Governo do Estado do Pará - Belém
Autor: Marta Brasil



Fórum Econômico Mundial recomenda investimento em etanol
30/01
Pelo menos US$ 515 bilhões devem ser investidos anualmente em infra-estrutura para geração de energia limpa até 2030. Caso contrário, as emissões de carbono atingirão níveis insustentáveis e a temperatura global subirá dois graus. O alerta consta em relatório divulgado nesta quinta-feira (29) pelo Fórum Econômico Mundial, que reúne 2.500 lideranças empresariais e políticas de diversos países na cidade suíça de Davos.
O etanol de cana-de-açúcar – produzido pelo Brasil – aparece entre os oito itens identificados pelo documento como potenciais para investimentos. Outros segmentos que podem contribuir para a mudança da matriz energética do planeta são as energias solar, eólica e geotermal, o lixo sólido reciclado e os biocombustíveis de celulose e de biomassa.
O relatório, chamado Investimento Verde: Rumo a uma Infra-Estrutura de Energia Limpa, também traça um mapa dos investimentos no setor nos últimos anos. O diagnóstico é positivo. O total aplicado em fontes alternativas de energia passou de US$ 30 bilhões em 2004 para mais de US$ 140 bilhões em 2008.
Outra constatação interessante é que os países em desenvolvimento passaram a atrair mais investimentos. Em 2004, haviam sido aplicados US$ 1,8 bilhão em programas de energia limpa nesses países, o equivalente a 13% do total investido no planeta. Em 2007, essa fatia subiu para 23%, com US$ 26 bilhões.
“O desafio de curto prazo para os formuladores de políticas públicas é manter, nesses tempos difíceis, o extraordinário momento da indústria de energia limpa. Para isso, devem usar todas as ferramentas à sua disposição”, ressalta o relatório.
O documento defende ainda a inclusão de metas de longo prazo, como um sistema de energia sustentável, nos pacotes de enfrentamento à crise financeira internacional. “O desenvolvimento de tecnologia de energias renováveis, o adequado isolamento térmico de lares e escritórios e a educação de uma nova geração de engenheiros, técnicos e cientistas devem fazer parte de qualquer programa de estímulo fiscal”, recomenda o relatório.

Agência Brasil
Cosmo On line



Empresa vai gerar 500 novas vagas em Mato Grosso
30/01
Na contra-mão da crise econômica mundial, Mato Grosso confirmou nesta quinta-feira, 29, a instalação de um novo projeto frigorífico que irá gerar 500 empregos diretos. O empreendimento será erguido no município de Sorriso (420 Km ao Norte da capital) com capacidade inicial de abate estimada em mil suínos. O anúncio foi feito durante a audiência com o governador Blairo Maggi por empresários, o prefeito de Sorriso, Clomir Bein, e deputados.

A estrutura do frigorífico, que deve estar concluída em 18 meses, deve ter capacidade total de abate diário em três mil suínos, detalhou um dos proprietários do investimento, Paulo Lucion, da Nutribrás. A expectativa é que o novo investimento contribua para o desenvolvimento da região e ajude na qualidade de vida da população.

Diário de Cuiabá



Nortão: projeto quer mapear cadeias produtivas para mercado exterior/MT
30/01
Só Notícias
29/01/2009 10:00

Um projeto focado na estruturação de diferentes cadeias produtivas, por meio de arranjos produtivos que visem o mercado internacional, deve ser desenvolvido a partir deste ano em municípios da região Norte. Por meio de um mapeamento, entidades econômicas, poder público e demais parceiros identificarão a viabilidade para novas APL"s, nos mesmos moldes das já existentes em Mato Grosso.

Segundo explica o diretor de comércio exterior da Associação Comercial Empresarial de Sinop e representante do Centro de Excelência em Comércio Exterior (Cecomex) no município, Amadeu Rampazzo Júnior, as necessidades serão averiguadas.

Conforme Rampazzo, cadeias do couro, indústria do alimento, fruticultura, têxtil na região poderiam ser implementadas, com foco na valorização do produto e matéria-prima. Por meio de parcerias o intuito é verificar condições para fomentar criação de indústrias que possam transformar a matéria-prima bruta em agregada. Também é estimular a competitividade de produtos da região por meio da entrada no comércio internacional.

Ele estima não ser possível cumprir todas as etapas do projeto a curto prazo porque o trabalho envolverá parcerias com municípios, Estado, União.

Ano passado, as exportações de grãos, carne, madeira, entre outros produtos, de municípios da região Norte apresentaram crescimento para o mercado asiático. Sorriso teve a maior elevação nos negócios com o continente, sendo de 128% o que representa US$ 123, 9 milhões ante US$ 54 milhões de 2007. As indústrias de Lucas do Rio Verde aumentaram 95% as vendas totalizando US$ 132 milhões com aumento de 95%.

Sinop teve o terceiro maior crescimento com 82%, totalizando US$ 25,3 milhões

Circuito Mato Grosso.



Veranico prejudica o desenvolvimento da precoce em algumas localidades de MT
30/01
No primeiro dia de rodada pelas lavouras de soja precoce a equipe da consultoria Agroconsult, o gerente técnico da Aprosoja, Luiz Nery Ribas, e o supervisor de campo, Emerson Fecker, coletaram 10 amostras entre soja precoce e semi-precoce nos municípios de Campos de Júlio e Sapezal, localizados na região Oeste de Mato Grosso.

Foi registrado pelos produtores a alta incidência de pragas, os exemplos mais citados foram a vaquinha e a lagarta da soja e isto, segundo o gerente técnico da Aprosoja/MT, Luiz Nery Ribas, também pode estar relacionado à seca (veranico) que atingiu algumas localidades de Campo Novo do Parecis, Campos de Júlio e Sapezal. Mas, das dez amostras analisadas não foram encontradas pragas relevantes devido à coleta da maioria delas ter ocorrido no final do ciclo. A maioria estava em estádio final da maturação.

Em reuniões com produtores de Campo Novo do Parecis (26.01), realizada no Sindicato Rural do município, e produtores de Sapezal (27.01), ocorrida na Câmara dos Vereadores, pontuou-se que na região Oeste, até o momento, houve baixa incidência de ferrugem asiática devido ao clima quente e seco, portanto, desfavorável ao desenvolvimento da doença.

No primeiro dia de levantamento da Agroconsult, das dez amostras coletadas constatou-se que a doença está controlada. “A maioria dos produtores de Sapezal e Campos de Júlio se mostraram conscientes ao revelar que estão fazendo a média de aplicações necessárias para evitar o avanço da ferrugem”, informa o supervisor de campo da Aprosoja/MT, Emerson Fecker.

Segundo a analista de mercado da Agroconsult, Rafaela Bottini, em pelo menos cinco amostras a variedade predominante de soja foi a tucunaré, uma das mais plantadas no estado. Na região foi identificada em apenas uma amostra a presença de soja transgênica. Segundo produtores de Sapezal, na safra 07/08 o plantio do grão modificado representou de 0,5% a 1% das lavouras, já nesta safra atingiu de 8% a 10%.

Expresso MT

Diário News..



Cuidados e dicas para uma boa colheita de maracujá/MS
30/01
Na sexta-feira passada (23), os produtores rurais do Projeto de Assentamento Recanto do Rio Miranda, a 30 km de Jardim, atualizaram seus conhecimentos sobre o cultivo de umas das frutas tropicais mais procuradas nos supermercados, o maracujá. Usado em sucos e doces, a fruta de sabor acentuadamente azedo é conhecida pelas suas propriedades calmantes. O “Seminário sobre a Cultura do Maracujazeiro”, ministrado pelo técnico agrícola e especialista em fruticultura Antônio Minari, integra a programação do “Projeto de Apoio à Produção Sustentável no Território da Reforma”. As dicas e informações fornecidas durante o seminário são indispensáveis para os pequenos produtores atendidos pelo projeto que apostam na fruta para incrementar a renda familiar.

“Escolha bem a área de plantio, pois você trabalhará nela por anos”, começa Minari. A terra não pode encharcar facilmente, nem ser rasa. A irrigação deve ser contínua para assegurar a colheita de duas a três vezes na semana. Outra dica importante é evitar áreas que recebam ventos do sul. “O vento frio é prejudicial às plantas de clima tropical”, explica o técnico, que também coordena o projeto. Para atenuar o efeito dos ventos, a opção é utilizar barreiras como árvores, desde que a sombra não atrapalhe o desenvolvimento da planta, bastante dependente do sol.

O primeiro passo, a escolha das sementes, é importante. Procure empresas responsáveis que comercializem sementes selecionadas. Nessa etapa inicial já é preciso pensar na comercialização. Escolha os tipos de maracujá consumidos na sua região. Com as sementes em mãos, plante-as em sacos plásticos próprios para a produção de mudas, que tenham altura de no mínimo 25 cm, e permitem um bom desenvolvimento das raízes. É importante que cada recipiente tenha três sementes. A que melhor se desenvolver permanece, as outras são descartadas ou transferidas para outros sacos.

As mudas devem ser preparadas para serem plantadas a campo, no inicio das chuvas, que é a melhor época para o plantio definitivo. As covas, que deverão ser preparadas com antecedência de pelo menos 15 a 20 dias, deverão ter medidas de 30 cm de boca e igual profundidade. O cuidado com as formigas nessa fase deve ser redobrado.

Irrigação e condução
“Irrigar não é apenas molhar. Irrigar é dar água para a planta na hora, na quantidade e no local que a planta precisa. No pé onde a planta se levanta do solo, não se deve molhar, pois estará apenas jogando água, sem aproveitamento para as raízes”, adverte Minari. A irrigação deve ser feita nas extremidades da saia da planta, que é onde estão as raízes de absorção de água e nutrientes.

A condução da planta requer cuidados especiais, pois uma planta bem formada garante uniformidade de produção. Cada planta na parreira tem 5 metros para explorar, o que significa 2,5 m para cada lado. Devem ser eliminados todos os brotos laterais, conduzindo a haste principal, ficando apenas com dois ou quatro ramos, que formarão a copa da planta. Dois brotos se a espaldeira (cerca) for com um fio de arame ou quatro brotos se for com dois fios de arame.

“Uma poda necessária de se fazer é a que controla o crescimento lateral, pois se deixar por conta da planta, os ramos vão crescer vinte, trinta metros do pé da planta e nessas extremidades, os frutos que produzir, serão miúdos e sem valor comercial”, ensina o técnico Agrícola aos produtores.

Na área de plantio do maracujazeiro, os trabalhos devem ser iniciados após nove horas da manhã, pois o sereno da noite estará seco. Entrar no pomar com umidade sobre as folhas pode ser prejudicial. Se houver algum foco de doença, poderá haver disseminação e o pequeno foco pode se tornar em um grande problema.

Cuidados com pragas e doenças
As pragas e doenças chegam pela ação do vento, por animais, ou seja, por causas naturais. A entrada de pessoas estranhas, podem também trazer problemas de saúde ao berçário das mudas. As doenças comprometem os frutos, como a verrugose que dá um aspecto estranho e deprecia o fruto para o mercado. A antracnose provoca podridão e mumificação dos frutos. Viroses e bacteriose comprometem a vida útil do pomar, podendo inviabilizar economicamente a atividade.

Para o produtor que não desenvolve a agricultura orgânica, produtos químicos podem ser usados em pulverizações regulares e criteriosas, com recomendação de um técnico. O operador deve usar Equipamento de Proteção Individual (EPI), com luvas, máscara, manga comprida, calça, e óculos. Para os produtores que praticam a agricultura orgânica, são utilizados produtos alternativos e específicos, também aplicados com critérios.

Agora MS - Dourados..



Plano da Petrobras prevê nova fábrica de fertilizante e mais GNL
30/01
Reuters - A Petrobras informou que incluiu no plano de negócios 2009-2013 a construção de uma terceira fábrica de fertilizantes no país e mais um terminal de Gás Natural Liquefeito (GNL), ambos sem localização ou estimativa de custo.

Segundo o diretor de Abastecimento, Paulo Roberto Costa, que havia anunciado no ano passado a intenção de fazer mais uma unidade de fertilizantes para reduzir as importações brasileiras do setor, a fábrica vai produzir 1 milhão de toneladas do produto.

"Ainda está em fase de estudos, mas está no plano da companhia fazer a terceira fábrica de fertilizantes", disse o executivo a jornalistas durante detalhamento do plano de negócios 2009-2013.

Atualmente a empresa tem duas plantas de uréia e de amônia para produção de fertilizantes na Bahia e em Sergipe.

Costa informou que na terça-feira a Petrobras vai divulgar a balança comercial de petróleo da companhia.

Segundo uma fonte da empresa, o saldo ficou próximo do "zero a zero".

No mesmo evento, a diretora de Gás e Energia da estatal, Maria das Graças Foster, anunciou que foi incluído no plano mais um terminal de GNL.

A empresa possui um terminal no Ceará, já em teste, e no Rio de Janeiro. "Teremos participação crescente na energia elétrica", disse Graça, referindo-se à utilização de GNL nas usinas térmicas.
Os dois projetos fazem parte do orçamento de 47,9 bilhões de dólares para novos projetos, sendo 5,7 bilhões de dólares para a área de Gás e Energia e 3,1 bilhões de dólares para áreas de petroquímica, distribuição e corporativa.

A maior parte ficou com a área de exploração e produção, que receberá 36,6 bilhões de dólares, ou 76,4 por cento do total destinado a novos projetos.

Reuters


Rússia estuda suspender tarifas de exportação sobre fertilizantes
30/01
O Ministério da Indústria e Comércio da Rússia sugeriu que o executivo suspenda as tarifas de exportação sobre fertilizantes e matérias-primas usadas em sua produção, a partir de abril. A notícia foi revelada na segunda-feira (26) pelo vice-ministro da pasta, Denis Manturov. No ano passado, a exportação desses produtos foi sobretaxada em 5% a 8,5%.

Em reunião presidida pelo primeiro-ministro, Vladimir Putin, com a indústria de fertilizantes, Manturov também propôs a criação de holdings verticalmente integradas a fim de evitar conflitos entre fornecedores de matérias-primas e produtores de fertilizantes. As informações são da Dow Jones.

Agência Estado


Seca e China melhoram cenário para soja
30/01
O produtor brasileiro de soja começa a driblar a atual crise financeira, uma das mais graves desde 1929. Os produtores, que iniciaram o plantio em um dos momentos mais críticos da crise, não viam nenhuma perspectiva de rendimento.

Sem crédito e com os custos elevados, o plantio indicava um vôo cego para os produtores, que não conseguiam realizar vendas antecipadas devido à saída das tradings do mercado.

Preços e comercialização eram as principais incógnitas para a colheita. Com as máquinas no campo e já efetuando a colheita, os sojicultores vêem as tradings com apetite nas compras e os preços subindo.

Travada até o final do ano passado, a comercialização desta safra já atinge 38% no Centro-Oeste e a soja é negociada a US$ 20 por saca em algumas cidades da região. Além disso, a produtividade surpreende e fica entre 52 e 57 sacas por hectare para a soja precoce. A tardia pode superar as 60 sacas.

Alta de preços e boa produtividade são garantias de rendimento para os produtores. Na avaliação de Fernando Muraro, da Agência Rural, de Curitiba, os produtores de Rio Verde, em Goiás, devem ter renda líquida de R$ 770 por hectare. Já em Sorriso (MT), a renda deve ficar em R$ 350 por hectare.

Entre os motivos responsáveis por essa mudança de cenário, está a própria crise, que provocou alta do dólar em relação ao real. Tendo como base o dólar, a soja passou a gerar mais reais para os produtores.
Já a seca, que atingiu o Sul do Brasil, a Argentina e o Paraguai -e deve provocar quebra de 12 milhões de toneladas na região-, eleva os preços da soja.

A recuperação dos preços vem, ainda, do apetite da China, que elevou as compras.

Os EUA, que sempre exportam mais milho do que soja, estão com situação inversa nesta safra. A dúvida é se a China vai manter esse apetite ou apenas faz estoques, diz Muraro.

A mudança de cenário vem em boa hora, diz José Eduardo de Macedo Soares, produtor de Lucas do Rio Verde (MT). "A estiagem, que prejudicou os produtores do Sul, nos salvou." Há 40 dias, quando o preço da soja estava perto de US$ 11 por saca, a renda não cobria os custos. Atualmente, com a saca a US$ 18 e a desvalorização do real em relação ao dólar, dá para respirar, acrescenta.

André Schwening, produtor de Rio Verde, no sudoeste de Goiás, também diz que o produtor vai ter rentabilidade boa, se houver uma confirmação da safra -que está em andamento- e dos preços -que podem mudar até abril, no final da colheita. Mas Schwening adverte: "É preciso muito critério para dizer que o produtor está ganhando". Segundo ele, muitos produtores fizeram dívidas em dólar na compra de insumos e a alta da moeda norte-americana trouxe novos custos.

Soares e Schwening concordam que o clima é favorável para a produção de soja no Centro-Oeste neste ano, embora tenha havido pequenos períodos de estresse. Esse clima permitiu até um bom manejo das doenças, que tradicionalmente elevam os custos e geram perda de produtividade.

Já no Sul, a situação é bem diversa. Um produtor do norte do Paraná diz que colherá apenas 40 sacas por alqueire na soja precoce. Já a que foi plantada depois deverá render 120 sacas.

Pior ainda a situação dos paraguaios, onde a safra pode render apenas 20 sacas por alqueire. José Rubio, do norte do Paraguai, diz que em metade de sua área colherá a média de 30 sacas por alqueire. Não paga nem o arrendamento das terras, que é de 38 sacas.

Em outra área, a apenas 40 quilômetros da primeira, não faltou chuva e Rubio poderá obter 150 sacas. A alta de preços das últimas semanas ajuda, mas não repõe os estragos trazidos pela seca, diz ele.
Situação pior vivem os argentinos. Queda de área e seca podem reduzir a produção para 42 milhões de toneladas, ante 46 milhões em 2007/8.

A seca faz a soja "brilhar como estrela solitária", mas Muraro crê que o milho também será beneficiado. A quebra na América do Sul deverá ser de 20 milhões de toneladas, o que levará mais produtores a optar pelo grão na safrinha com a melhora no cenário de custo e preço.

Leonardo Sologuren, da consultoria Céleres, concorda com Muraro: a safrinha deve cair menos do que o previsto.

Estudo feito pela Céleres, levando em consideração os efeitos das crises econômicas mundiais sobre o consumo de alimentos nos últimos 48 anos, mostrou que os impactos são pequenos. Em alguns casos, há crescimento na demanda de alimentos, afirma Sologuren.

Folha de Londrina


Crise derruba preço da terra destinada à agricultura em Mato Grosso
30/01
Análise do comportamento de preços indica que na região de Rondonópolis, a desvalorização foi superior a 4%

Marcondes Maciel

Depois de atingir níveis recordes nos últimos anos, o preço da terra destinada à agricultura, em Mato Grosso, encerrou 2008 em queda, revela levantamento da AgraFNP.

A pressão decorre da saída generalizada de compradores do mercado e reflete sobretudo nos imóveis rurais voltados à produção de agroenergia. “Houve pouquíssimos negócios nos últimos quatro meses, o que significa que uma crise de liquidez já se instalou também neste mercado”, afirma Jacqueline Bierhals, analista do Mercado de Terras e gerente de Agroenergia da AgraFNP.

A estagnação dos preços - e do mercado - neste momento mostra também a apreensão do investidor (mesmo os mais capitalizados) em realizar aquisições de terras, investimento de baixa liquidez.

A análise do comportamento de preços indica que na região de Rondonópolis, que concentra as terras mais caras do Estado, a desvalorização foi de 4,65%, com os preços do hectare recuando de R$ 11 mil, em dezembro de 2007, para R$ 10,5 mil, no final do ano passado. As lavouras de cana-de-açúcar e de grãos são as principais responsáveis pelos preços mais elevados da terra na região de Rondonópolis.

O relatório da AgraFNP aponta que as terras mais baratas de Mato Grosso encontram-se na região de Aripuanã (1.002 Km a Noroeste de Cuiabá), onde um hectare de mata de difícil acesso vale cerca de R$ 150. As áreas que mais se valorizaram nos últimos 12 meses foram as áreas de cerrado em Comodoro (644 Km a Oeste de Cuiabá), na região de Pontes e Lacerda (273,5%) e as que mais se desvalorizaram foram as áreas de mata em Feliz Natal/Tapurah, região de Sinop (500 Km ao Norte de Cuiabá), com queda de 32,5%.

BRASIL – Enquanto em Mato Grosso o hectare de terra agricultável atingiu o preço máximo de R$ 10,5 mil na região de Rondonópolis (210 Km ao Sul de Cuiabá), o preço médio no Brasil - bimestre novembro-dezembro/08 - foi de R$ 4,33 mil, ante R$ 4,34 mil apurado em setembro-outubro/08.

Comparando-se a média atual com o valor de 12 meses atrás (janeiro-fevereiro/08), houve valorização nominal de 8,3%. Mas, descontando-se a inflação no período, nota-se perda real de patrimônio de 0,8%. Em relação aos valores praticados há 36 meses (R$ 3,07 mil/hectare), verifica-se valorização nominal de 40,7% e real de 5,7%, em média.

A região Centro-Oeste continua sendo a que mais valorizou nos últimos 36 meses, com 46% de alta. A maior valorização no Centro-Oeste decorre principalmente dos investimentos em cana-de-açúcar na região. De acordo com os analistas, a mecanização e modernização das propriedades rurais têm favorecido a região e o conseqüente aumento no preço da terra.

Na seqüência vêm as regiões Nordeste e Sul, com valorização de 43,9% e 43,3%, respectivamente. O preço na região Norte aumentou em média 38,4% e, na região Sudeste, houve a menor valorização: 36%.

Em 2008, dados da AgraFNP mostram que os preços das terras agrícolas brasileiras foram recordes em termos nominais. Descontando-se a inflação, os valores só ficaram abaixo dos praticados no início de 2004, época em que a soja atingiu cotação recorde na Bolsa de Chicago.

A expectativa para 2009 ainda não é clara e está bastante atrelada ao cenário econômico. “Parece inevitável que os preços das terras comecem a recuar, mas, por paradoxal que possa parecer, se a situação piorar ainda mais, pode ocorrer uma corrida para os chamados ativos reais. Neste caso, ao contrário de se desvalorizar, as terras poderiam então ter reação de preços”, afirma José Vicente Ferraz, diretor técnico da AgraFNP.

Diário de Cuiabá


Senar-RS busca profissionais para ministrar cursos
30/01
A entidade busca técnicos e profissionais nas áreas de informática, fruticultura, suinocultura, licenciamento ambiental, associativismo, administração de empresas, além de profissionais específicos ligados a áreas como saúde, cultura, esporte e lazer, que tenham disponibilidade para deslocamento em qualquer cidade do Estado.

Os interessados devem acessar o site do Senar-RS www.senar-rs.com.br e preencher a ficha cadastral disponível.

Conforme o chefe da divisão técnica do Senar-RS, Taylor Guedes, os novos prestadores de serviço vão atender não só a cursos existentes, como também as novas oportunidades que a entidade está criando para 2009. “Buscamos pela primeira vez, profissionais da área de cultura e esporte, para atender as demandas que serão solicitadas pelo público rural.” comenta.
Para participar do processo seletivo é necessário ser pessoa jurídica com empresa constituída ou estar ligado à cooperativa de trabalho. Serão cinco eliminatórias, como avaliação de documentações, entrevista e treinamento metodológico proporcionado pelo próprio Senar. Os selecionados poderão ministrar cursos em qualquer comunidade rural do Estado a partir da solicitação de produtores rurais via sindicatos rurais e alguns sindicatos de trabalhadores rurais. As informações são da assessoria de imprensa do Senar-RS.

Agrolink


Milho e trigo devem ter bons preços
30/01
Ao contrário do cenário registrado no final do ano passado, a tendência agora é de melhora nos preços do milho, do trigo e do feijão. A elevação deve ocorrer, principalmente, devido às perdas na produção ocasionadas pela estiagem. Segundo o operador de mercado Carlos Boszczovski, da Target Invest (empresa de Londrina distribuidora de derivativos) o mercado indica preços bons para o milho plantado durante a safrinha.

Ele pondera que os estoques estão altos, mas lembra que houve perdas de cerca de 30% nas lavouras do Paraná e do Rio Grande do Sul. Além disso, também houve quebra de 5 milhões de toneladas na Argentina. ""A incidência do "La NiÀa" a partir de março pode provocar secas e geadas entre junho e julho e, por isso, poderá haver quebra na safrinha"", diz o operador de mercado. Segundo ele, os preços já começaram a reagir e estão acima da média história, que ficou em R$ 20,50 nos últimos quatro anos.

Os preços do trigo já apresentaram boa recuperação neste mês. As cotações que, no ano passado, atingiram mínimo de R$ 470 a tonelada, atualmente estão na casa dos R$ 550 a tonelada. ""A última safra foi boa, mas houve perda da qualidade"", diz Élcio Bento, analista de mercado da agência gaúcha Safras e Mercados. Na última safra o País colheu cerca de 3,9 milhões de toneladas do grão, contra 5,58 milhões de toneladas em 2007. Ele acrescenta que há demanda interna, uma vez que o Brasil consome anualmente 10,1 milhões de toneladas.

Parte da demanda nacional é suprida pelo trigo argentino mas o problema é que o País colheu 8,5 milhões de toneladas a menos devido à estiagem. Desta forma, explica Bento, aquele país terá disponível apenas 3 milhões de toneladas do grão para comercializar no mercado externo. ""O Brasil não é o único mercado para o trigo argentino"", diz o analista de mercado. Uma outra opção é importar o grão de outros países do Mercosul: Paraguai e Uruguai ou da América do Norte: Estados Unidos e Canadá. Para Bento a tendência é de recuperação do preço do trigo, mas nada ""muito exagerado"".

Feijão

A frustação da primeira safra de feijão - conhecido como feijão das águas - elevou os preços da cultura mantendo níveis compensatórios de rendimento. Na avaliação de Taurino Alexandrino Loiola, consultor autônomo com atuação na região de Wenceslau Braz (117 km ao sul de Jacarezinho), os produtores que colherem feijão até novembro devem conseguir bons preços. "Acreditamos que as lavouras podem alcançar rentabilidade de 30% sobre os custos de produção", diz. Na região, o custo de produção está estimado em R$ 5 mil por alqueire com produtividade estimada entre 80 a 100 sacas, sem prejuízos climáticos.

Ele lembra que o ano passado foi o melhor ano para o feijão, quando a saca foi negociada por mais de R$ 200. Como os altos preços estimularam o plantio, a cotação caiu. No entanto, as perdas - provocadas pela soma entre estiagem e altas temperaturas - contribuíram para elevar a cotação da leguminosa. (F.M.)

Folha de Londrina



Previsão do tempo: chuva e trovoadas em oito estados
30/01 - 13:33

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) prevê para esta sexta-feira (30), chuva moderada a forte, com rajadas de vento ocasionais e trovoadas, em áreas isoladas do centro, sul e leste do Rio Grande do Sul, São Paulo, Mato Grosso do Sul, sul de Mato Grosso, sul de Minas Gerais, Acre, sul e oeste do Amazonas e norte do Amapá.

Para o sábado (31), essas mesmas condições persistem para Rondônia, sul e oeste do Amazonas, Acre e norte do Amapá. No domingo (1), em Rondônia e no Amazonas chuva com rajadas de ventos ocasionais.

Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento
Autor: Lis Weingärtner

Justiça agora quer absolver Mensaleiro! Procurador recorre. É o seu Brasil...

Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS


Por Zé Rubens

Apertem os cintos, a Justiça sumiu!

O Brasil passa por uma crise ética serissima! Enquanto Ministras preocupam-se com sua qualidade estética e o Governo acolhe criminoso estrangeiro, a Justiça concede absolvições a Mensaleiros e a Ministros que favorecem parentes.

Acompanhe a notícia da FOLHA que trata do caso em que o Ex-Ministro e um dos acusados de ser o mentor do Mensalão, é acusado de favorecer o filho...

No caso a Justiça do DF achou que o Zé (que não é o Rubens) merece a absolvição.

A nossa salvação foi o recurso impetrado pelo Procurador do MP de lá...

Vamos acompanhar!

E olha que tá cheio de canais de mídia que chamam o Zé (Dirceu) para comentar política...

Leia íntegra e deixe a sua opinião! Será que este Zé aqui que não tem Mensalão está sendo muito radical?

O Ministério Público Federal no Distrito Federal recorreu nesta quarta-feira ao TRF-1 (Tribunal Regional Federal) da 1ª Região para manter a ação contra o ex-ministro José Dirceu (Casa Civil) e seu filho Zeca Dirceu (PT) por improbidade administrativa. A ação foi extinta sem julgamento do mérito por decisão da 15ª Vara da Justiça Federal no DF.

Brasil pode dar casa, comida e roupa lavada para mais 60 terroristas

Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS


Por Censurado


Logo após tomar posse da presidência do governo dos Estados Unidos, o badalado Barack Obama surpreendeu o mundo ao ordenar o fechamento da prisão de Guantánamo. O presidente democrata decretou que o cárcere deve acabar em no máximo doze meses, não importa como. Ali, estão “hospedados” exatos 245 prisioneiros, capturados pelos serviços de defesa americano. A atitude foi aplaudida por toda a comunidade dos Direitos Humanos.

Mas a coisa não é tão simples assim. Dos 245 supostos terroristas aprisionados em Guantánamo, existem 60 cujo destino é extremamente complicado. Não podem ser mandados de volta para seus países de origem, pois seriam assassinados. Não podem entrar nos Estados Unidos pois... Bem, é óbvio que não. A comunidade européia se disse solidária à idéia, mas pede dados mais completos sobre os presos. Eles não permitem a entrada de criminosos no continente, ponto final.

Provenientes de nações como Azerbaijão, Argélia, Afeganistão, Chade, Arábia Saudita e Iêmen, esses 60 terroristas que não tem para onde ir não são considerados “tão” perigosos quanto os outros, que já tem o caso encaminhado. Para onde então mandar todos estes “perseguidos” políticos? Já sabem!

Depois do caso Batistti, o que mais podemos esperar?...

As dez mais nacionais de 30 de janeiro

Publicado por Meiser Leister
AGUA BOA NEWS



Boa tarde,
Este é, um roteiro do que há de mais relevante nos principais jornais do país hoje.

Boa leitura.


As dez mais de 30 de janeiro

1. Os fóruns (Econômico e Social) podem mudar o mundo?
Enquanto a cúpula econômica discute o futuro do mundo em Davos e lideranças sociais buscam um caminho alternativo em Belém, nem sempre é feita a pergunta sobre o poder de contribuição dessas reuniões. Fernando Gabeira escreveu um interessante (e um tanto cético) artigo sobre o tema na Folha (para assinantes) desta sexta-feira. Para ele, é muito dfícil que de Davos ou Belém saia alguma grande diretriz para um mundo novo. “Se houver outro mundo, ou, mais modestamente, um mundo melhor, dependerá mesmo de fóruns como esses?”, pergunta Gabeira, concordando com o caráter religioso por trás da visão revolucionária e “sua certeza em determinar o sentido do homem”. “Nesse momento de crise, em vez de outro mundo, peço um mundo melhor”, diz o articulista. Se Davos ou Belém conseguir avançar nesse sentido, realmente já será uma conquista.


Economia
2. Ata do Banco Central sinaliza nova queda dos juros
Depois de cortar a taxa básica de juros em 1 ponto porcentual, o Banco Central deve fazer uma nova redução na próxima reunião do Comitê de Política Monetária, em 10 de março. A avaliação é do Estadão, com base no conteúdo da ata do último encontro. Para o jornal, o BC reconheceu, “pela primeira vez desde o início da crise financeira, que a demanda deixou de ser um problema para a inflação e começou exercer um efeito ‘contracionista’ sobre a atividade econômica”. Economistas projetam que a taxa caia para até 11% nas próximas três reuniões (hoje, é de 12,75%).


3. BNDES pode fazer socorro direto a montadoras
A indústria automobilística deve receber nova ajuda do governo para se levantar da crise. Uma reportagem do jornal O Globo (íntegra para assinantes) diz que o presidente do BNDES, Luciano Coutinho, se reúne hoje com representantes do setor para fechar um pacote de estímulo. Se o socorro público vier, será o segundo desde o início da turbulência financeira: em novembro, o governo injetou, via Banco do Brasil, R$ 4 bilhões nos bancos das montadoras. As empresas pedem ao BNDES que financie integralmente a fabricação de ônibus e caminhões – hoje, há 80% de financiamento.


4. Governo quer comprar e revender casa popular
Está na manchete da Folha (para assinantes): por meio de licitação, o governo federal pretende adquirir, diretamente das construtoras, moradias para famílias de baixa renda e refinanciá-las pela Caixa Econômica Federal. O plano, que faz parte de um pacote de habitação a ser fechado na semana que vem, tem como meta financiar a construção de 1 milhão de moradias populares até o fim de 2010. Com isso, o governo pretende aquecer um setor importante da economia em tempos de crise e, é claro, colher capital político. “Na faixa da população de baixa renda, Lula colhe alto índice de popularidade”, lembra a Folha.


Política
5. Educação e saúde perdem verbas para o Bolsa Família
A decisão do governo de “turbinar” o Bolsa Família, ao elevar de R$ 120 para R$ 137 a renda per capita máxima para inclusão no programa, não poupou nem ministérios sensíveis da área social. Segundo o Estadão, a pasta da Educação vai perder R$ 866 milhões do orçamento previsto para 2009; no caso da Saúde, a tesoura foi mais fundo: R$ 2 bilhões a menos. É possível que o governo recomponha essas previsões orçamentárias ao cancelar, por decreto, boa parte das emendas parlamentares incluídas no Orçamento, mas fica claro que concorrer com o Bolsa Família não é fácil.


Caso Battisti
6. Em protesto, Berlusconi cancela visita ao Brasil
Também no Estadão está a informação de que o primeiro-ministro da Itália, Silvio Berlusconi, cancelou sua visita ao Brasil, prevista para o fim de fevereiro, como um sinal de protesto por conta da decisão brasileira de dar asilo político ao ex-terrorista italiano Cesare Battisti. Segundo fontes da diplomacia italiana, não há clima para Berlusconi vir ao país diante do desgaste das relações bilaterais. E a Folha (para assinantes) diz que pelo menos dez testemunhas foram ouvidas pelas autoridades italianas ao longo do julgamento de Battisti, a quem teria sido dado amplo direito de defesa. São informações que se chocam com os argumentos do ministro Tarso Genro para dar refúgio ao italiano.


Meio ambiente
7. Amazônia perde 17% de sua área por desmatamento, diz ONU
A ação de desmatadores devastou 17% da área da Floresta Amazônia entre 2000 e 2005, segundo um relatório a ser divulgado em breve pelo Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). Nesse período, foram destruídos 857 mil km² de mata nativa, quase o tamanho da Venezuela. Segundo o Le Monde, que antecipou o conteúdo do relatório, a maior parcela da área desmatada se encontra no Brasil. A reportagem cobra dos países desenvolvidos um maior envolvimento com a questão amazônica e aponta como possível solução o Fundo Amazônia, pelo qual nações ricas podem injetar dinheiro para financiar programas de preservação florestal.


Mundo
8. Fidel critica Obama por Guantánamo e apoio a Israel
Depois de um longo silêncio quebrado recentemente, Fidel Castro parece ter voltado à velha forma – ou seja, criticando os Estados Unidos. Em mais uma de suas “reflexões”, divulgada ontem à noite no site Cuba Debate, ele afirma que não vai aceitar nenhuma condição eventualmente imposta pelo presidente americano Barack Obama para devolver a base de Guantánamo, como mudar o sistema político cubano. “Manter uma base militar em Cuba contra a vontade do nosso povo viola os mais elementares princípios do direito internacional. É uma faculdade do presidente dos Estados Unidos acatar essa norma sem condição alguma”. Sobre o apoio americano a Israel, Fidel acusa Obama de “compartilhar com o genocídio contra os palestinos”. O curioso é que, uma semana antes, o ex-líder cubano havia elogiado a “sinceridade” de Obama. Não é fácil agradar a El Comandante...


9. Encurralado, governador do Illinois sofre impeachment
“Eu não fiz absolutamente nada de errado”, afirmou ontem o agora ex-governador de Illinois (EUA) Rod Blagojevich, em seu julgamento no Senado estadual. Diante de tantas evidências de que ele tentou negociar a vaga no Senado deixada pelo hoje presidente Barack Obama, essa declaração foi vista até como uma afronta pelos senadores que o julgaram, segundo o Chicago Tribune. Por unanimidade (59 a 0), eles declararam o impeachment de Blagojevich, que decidiu não renunciar mesmo após agonizantes semanas no cargo. Sua saída de cena deixou feliz não só o agora governador, Patrick Quinn, mas certamente também Obama, de quem Blagojevich era um antigo aliado. Livrar-se de alguém enrolado em tantas suspeitas de corrupção é um alívio para o presidente.


10. Caráter protecionista do pacotão de Obama pode ser reforçado
O Senado americano começou ontem a discutir possíveis alterações no projeto de estímulo econômico do presidente Barack Obama, já aprovado na Câmara. O montante do pacotão deve ser elevado de US$ 819 bilhões para US$ 887 bilhões, mas os senadores querem ter garantias de que os empregos a serem criados pelas medidas sejam destinados apenas a trabalhadores americanos, e não a empresas estrangeiras ou imigrantes ilegais, relata o The Wall Street Journal. “Essa proposta aumenta a preocupação de que outros países possam fazer retaliações contra produtos americanos com novas sanções comerciais”, diz o jornal. O viés protecionista já havia dado as caras no texto aprovado pelos deputados, em que consta a exigência de uso de ferro e aço produzidos nos EUA para os projetos de construção civil.

UCMMAT: Artigo imoral e em causa própria, pode acabar com o sonho de 3º mandato de Aluízo

30/01/2009 às 08h20m
Por Kassu
AGUA BOA NEWS



Dia 02/02/2009 transcorrerá em Cuiabá a eleição para a nova diretoria da União das Câmaras de Vereadores do Estado de Mato Grosso (UCEMMAT) na chapa 01 denominada Mudança com Transparência concorre o vereador Marcos Junio Mendonça PTB de Água Boa o Marquinho, na chapa 02 o atual presidente já pelo segundo mandato vereador de Salto do Céu Aluízo Lima Pereira PR.

O vereador atual presidente está tendo dificuldade de esclarecer aos vereadores das 78 Câmaras aptas a votar, o artigo 30 do estatuto da entidade que dá ao ex-presidente mesmo não sendo vereador, o direito no cargo remunerado de Superintendente e com direito ao salário de R$7.000,00 mensais. Além de ser imoral o cargo em seu artigo 31 da o direito e vantagens e todas as regalias conferidas à diretoria e ao presidente.

Segundo o candidato Marquinho esta deve ser uma das razões da “Caixa Preta” que foi transformada a UCEMMAT. “para conseguir ter acesso aos documentos necessários para registrar candidatura tive que entrar por vias judiciais” recorda o vereador.

Até companheiros de legenda de Aluízo tem reprovado a imoralidade do artigo 30.

Mohamed Zaher vereador PR de Rondonópolis disse que é o dirigente da associação é antiético e não concorda com a postura de Aluízo em reformular o estatuto interno em benefício próprio, já que - mesmo em caso de derrota - na eleição, o ex-presidente se mantém no poder. É o que diz o artigo 30. “Se o presidente perder a eleição, automaticamente vira superintendente da instituição - e com remuneração que tem a média de R$ 7 mil mensais”. Zaher afirma ser contra dirigente de instituição agir em benefício próprio. “Acho isso imoral. É minha opinião”,

ESTATUTO DA UNIÃO DAS CÂMARAS MUNICIPAIS DO ESTADO DE MATO GROSSO – UCMMAT

Seção V
Da Superintendência

Art. 30 A Superintendência é órgão superior da UCMMAT e tem por atribuições:
I - auxiliar diretamente a Presidência;

II - representar o Presidente em casos extraordinários,
III - assessorar o Presidente nas atividades de planejamento e organização da UCMMAT.

§ 1º A Superintendência será exercida pelo ex-Presidente da gestão imediatamente anterior, desde que não exerça a função de Prefeito, Vice-Prefeito ou Deputado;

§ 2º Em não assumindo a Superintendência o ex-presidente da gestão imediatamente anterior, tomará o seu lugar o Vice-Presidente ou outro membro, escolhido por livre vontade do Presidente da UCMMAT;

§ 3º A não assunção ao cargo de Superintendente pelo ex-Presidente da gestão imediatamente anterior, deverá ser comunicada formalmente ao Presidente da UCMMAT;

§ 4º O Superintendente será remunerado e poderá participar das reuniões da Diretoria;

§ 5º No caso de o Superintendente exercer a função de Vereador cumulativamente, poderá optar pela remuneração, não podendo acumular os vencimentos.

Art. 31 Ao Superintendente Geral são assegurados todos os direitos e vantagens concedidas aos membros da Diretoria da UCMMAT, e conferidos, em todas as solenidades promovidas pela UCMMAT a que comparecer local e menção de destaque.

A eleição acontecerá em Cuiabá no dia 02 de fevereiro das 08 as 17 horas na sede da entidade à Rua Joaquim Murtinho, 1713 - Centro Sul - CEP 78.020-110 - Cuiabá/MT
Fones: 065-3324-1197

Ver estatuto completo
aqui

Dilma afirma que Brasil está preparado para ter uma mulher na Presidência

Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS


A ministra chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, dise hoje (29) durante apresentação no Fórum Social Mundial que “ainda” não é candidata à Presidência da República, mas que o Brasil está preparado para ter uma mulher no comando do país.

Dilma foi recebida por um coro de mais de 500 pessoas que gritavam: “Brasil urgente, Dilma presidente” e disse que ficou “comovida” com a manifestação.

“O Brasil está preparado para ter uma mulher presidente, um presidente negro, um presidente índio. O Brasil é uma sociedade democrática. Sinto nessa manifestação aqui no Pará um calor humano, uma força muito grande. É comovente estar aqui. É uma coisa que toca o coração.”

A ministra disse que ainda não é candidata porque ainda não houve conversa oficial com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva a respeito da sucessão.

Agência Brasil

quinta-feira, 29 de janeiro de 2009

Em mais um jogo com arbitragem polêmica, Fla vence o Bangu no finzinho

29/01/09 - 18h31 - Atualizado em 29/01/09 - 19h31

Ronaldo Angelim marca de cabeça aos 45 minutos do segundo tempo, e time rubro-negro sai vencedor por 2 a 1, em Volta Redonda

Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS

Eduardo Peixoto Direto de Volta Redonda, RJ



A esperança dos torcedores rubro-negros era a de que a estreia ruim do Flamengo no Campeonato Carioca no último domingo tivesse sido por acaso. Mas, o que se viu nesta quinta à tarde no estádio da Cidadania, em Volta Redonda, foram os mesmos erros e a falta de organização do time. Apesar disso, o Fla conseguiu vencer o Bangu por 2 a 1, de virada, aos 45 minutos do segundo tempo. Outro lado negativo da partida foi o desempenho do trio de arbitragem, comandado por Djalma Beltrami, que errou em três lances capitais. E ainda houve pelo menos outras três jogadas polêmicas (assista ao vídeo).

Com o resultado, o Fla foi aos seis pontos na tabela do Grupo B e fica na liderança momentânea. O time de Moça Bonita continua com zero, na lanterna. Na próxima rodada, o Rubro-Negro volta a jogar na Cidade do Aço, domingo, contra o Volta Redonda, às 17 horas. O Bangu enfrenta o Macaé, fora de casa, no mesmo dia, só que às 16h.



Obina perde pênalti, e torcida do Bangu aplaude


O Flamengo começou o jogo sem a menor organização tática e muito desconcentrado. Tanto é que em menos de três minutos, já havia errado quatro passes, sendo dois de Kleberson. O Bangu se mostrava um tanto assustado, afoito quando tinha a posse de bola. Apenas os atacantes Somália e Bruno Luiz davam trabalho à zaga rubro-negra.

Aos poucos, o time de Moça Bonita foi se sentindo mais solto, principalmente pela péssima partida que fazia o meio-campo do Fla. Ibson, Kleberson e Everton não conseguiam criar nada, e Obina permanecia isolado no ataque. Juan, o único um pouco mais inspirado, era quem tentava a maioria das jogadas. Aos 21, a primeira jogada trabalhada do Fla. Leo Moura chegou à linha de fundo e cruzou. Obina completou de cabeça, mas a bola saiu à esquerda de Diogo.

Aos 29, Juan cobrou falta da intermediária, Fábio Luciano subiu bem, mas Diogo espalmou antes mesmo de o capitão do Fla tocar com a cabeça na bola. Aos 33, Obina recebeu lançamento de Leo Moura, matou no peito, deu um chapéu no zagueiro e chutou de voleio. Diogo fez outra boa defesa. Aos 37, Bruno Luiz fez uma falta violenta sobre Aírton, com uma tesoura por trás, mas o árbitro deu apenas cartão amarelo para o jogador do Bangu.

No minuto seguinte, pênalti sobre Juan. O lateral driblou Uilian e foi derrubado na área. Obina cobrou, com direito a paradinha, e perdeu. A bola bateu na trave esquerda e quase saiu pela lateral direita de Diogo. Um detalhe importante é o fato de o atacante não estar nem entre os três cobradores oficiais do time, que são Ibson, Leo Moura e Marcelinho Paraíba, sendo que o último começou a partida na reserva. Logo após o erro de Obina, a pequena torcida do Bangu presente ao estádio da Cidadania gritou, ironicamente, o seu nome. Fim de primeiro tempo: 0 a 0.


Segundo tempo para corações fortes

Insatisfeito com o rendimento do time, no intervalo, o técnico Cuca tirou Kleberson, que fez um péssimo primeiro tempo, e pôs o atacante Maxi em seu lugar. Em relação à criatividade no meio-campo, Ibson até que melhorou um pouco, mas o mesmo não ocorreu com Everton, que errava tudo que tentava. Aos 10, Willians cruzou da direita, Obina tocou bem de cabeça, mas Diogo impediu o primeiro do Fla.



Aos 12, o Bangu abriu o placar. Douglas Silva chutou forte da esquerda, a bola bateu na trave esquerda de Bruno, raspou em Somália, que estava impedido, e sobrou para Rafael Soeiro empurrar para o fundo das redes. Logo em seguida, a torcida rubro-negra começou a pedir a entrada de Jônatas. E Cuca prontamente atendeu, colocando-o na vaga de Aírton.

E assim foi o Flamengo em busca de, pelo menos, um empate. Aos 23, Leo Moura pegou rebote na entrada da área e mandou uma bomba, à esquerda de Diogo. Aos poucos, a impaciência foi tomando conta dos jogadores rubro-negros em campo, e dos torcedores nas arquibancadas.

Aos 35, Marcelinho Paraíba, que havia entrado no lugar de Juan, chutou de fora da área, por cima do gol, assustando o goleiro alvirrubro. Aos 37, foi a vez de Maxi arriscar pelo lado esquerdo e chutar. Diogo espalmou a escanteio. Um minuto depois, Marcelinho de novo. O meia chutou de longa distância, no ângulo esquerdo, mas Diogo foi lá e salvou o que seria o gol de empate.

Aos 39, Ibson mandou uma bomba de fora da área e acertou o travessão. Pressão rubro-negra. Aos 40, mais um pênalti a favor do Flamengo. Maxi entrou na área e, em lance duvidoso, caiu. Djalmi Beltrami entendeu que o atacante havia sido calçado. Marcelinho Paraíba cobrou bem e empatou a partida.

Aos 42, mais um lance polêmico: Marcelinho cruzou de perna direita, Everton completou para as redes, mas o auxliar assinalou impedimento, de forma equivocada. Em seguida, outro erro, agora a favor do Fla. Bruno Luiz recebeu a bola em condilção legal de frente para Bruno, fez o gol, mas foi dado novo impedimento, apesar de o atacante estar atrás da linha da bola no momento do passe.

Até que aos 45, Ronaldo Angelim fez o gol da virada. Marcelinho Paraíba cobrou escanteio da esquerda, e o zagueiro completou de cabeça. Ibson ainda atrapalhou a visão do goleiro, e a bola entrou em seu canto esquerdo. Fim de jogo e, após um sufoco danado e muita polêmica na arbitragem, os rubro-negros puderam comemorar mais uma vitória.

As dez mais de 29 de janeiro

Publicado por Kassu
AGUA BOA NEWS


O Filtro - Juliano Machado

Quinta-feira, 29 de Janeiro de 2009


Boa tarde,
Este é O Filtro, um roteiro do que há de mais relevante nos principais jornais do país hoje. Todas as manhãs, de segunda a sexta-feira, o boletim eletrônico estará disponivel no site de ÉPOCA.
Boa leitura.


As dez mais de 29 de janeiro
1. Lula amplia limite para o Bolsa Família
Desde o seu lançamento, o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) foi tratado como prioritário pela União. Mas parece não haver programa com que o governo mais se preocupe que o Bolsa Família. Um dia após o Ministério do Planejamento ter anunciado o bloqueio preventivo de R$ 37,2 bilhões do Orçamento de 2009, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva decidiu aumentar o limite de renda para ingresso no benefício social. Hoje, para ser inscrita, a família pode ter uma renda de R$ 120 por pessoa, no máximo. Agora, o valor subirá para R$ 137 mensais. Parece pouco, mas isso vai permitir a entrada de 1,3 milhão de novas famílias no programa, informa O Globo. O governo diz que a medida apenas acompanha o reajuste da inflação pelo INPC. O custo adicional em 2009 deve ficar em R$ 549 milhões. O ganho de capital político, por sua vez, é difícil de calcular, mas certamente não será pequeno.


Economia e Mundo
2. Governo desiste das licenças prévias para importação
Foi desastroso o desenrolar da proposta do governo de adotar licenças prévias de importação para vários setores da indústria. O projeto foi apresentado na segunda-feira e, de cara, provocou apreensão entre os empresários, preocupados com a provável demora burocrática para liberar artigos essenciais em suas linhas de produção. No dia seguinte, o governo já havia cedido um pouco, excluindo alguns setores da exigência e prometendo rapidez na análise das licenças. Como os protestos persistiram, inclusive partindo de órgãos internacionais, não restou outra alternativa: ontem, foi anunciada a suspensão completa da medida. Assim foi a curta vida do “ímpeto protecionista do governo brasileiro”, nas palavras do Valor Econômico.


3. Pacotão de Obama passa na Câmara
A Câmara dos Representantes dos Estados Unidos aprovou ontem o pacotão de estímulo econômico do presidente Barack Obama. São US$ 819 bilhões em corte de tributos e incentivos a setores como geração de energia, educação, assistência médica e programas sociais. Essa montanha de dinheiro contra a crise, para se ter uma ideia, é maior do que os gastos americanos com as guerras no Iraque e no Afeganistão até agora. Na visão do The Wall Street Journal, o pacote, ao focar a redução tributária em famílias de menor renda, diverge amplamente da forma como George W. Bush encarava o estímulo à economia. O desafio, agora, é ganhar o apoio do Partido Republicano no Senado – na Câmara, nem um único deputado da oposição votou a favor do projeto.


4. Crise aumenta risco de instabilidade política em 8 países europeus
É o que diz um estudo da seguradora americana Aon Corp, divulgado pela BBC Brasil: a crise econômica global aumentou o risco de instabilidade política em oito países europeus (Estônia, Grécia, Hungria, Islândia, Letônia, Lituânia, Eslováquia e Eslovênia) por causa de sua vulnerabilidade à turbulência financeira. No caso da Islândia, uma das nações mais prejudicadas pela crise, o primeiro-ministro, Geir Haarde, não resistiu e renunciou na segunda-feira. Pela classificação da Aon, os oito países passaram da categoria de baixo risco político para médio-baixo.


Política
5. “Sem querer”, Sarney é o candidato do PMDB à Presidência do Senado
O senador e ex-presidente da República José Sarney (PMDB-AP) prometia havia mais de cinco meses que não ia se candidatar à presidência do Senado. Numa sabatina realizada pela Folha em agosto, ele fora taxativo: “Não quero ser presidente de nada.” Mas os pedidos do partido para que pensasse no “serviço ao país”, segundo ele, foram determinantes para mudar sua cabeça. “Não queria, resisti, mas eu acho que é importante a minha candidatura num momento como esse em que há uma crise mundial”, diz Sarney. Já entrando como favorito, ele defende uma “candidatura de unidade”, num claro recado ao petista Tião Viana (AC), que também almeja o cargo. Sabendo da força do experiente político maranhense, Viana parece não ter muito o que fazer...


6. Governo federal compensa Roraima com terras
O presidente Lula assinou um decreto que transfere para o Estado de Roraima 6 milhões de hectares em terras produtivas que pertenciam à União (o equivalente a 40 vezes a área do município de São Paulo). Lula disse que se trata de uma compensação aos agricultores por conta da demarcação contínua da reserva indígena Raposa Serra do Sol, embora o governo de Roraima não tenha encarado dessa forma. Agora, como informa O Globo, o presidente espera que os produtores locais falem menos e trabalhem mais com mais áreas para plantar. “A bola agora está com o governo do estado, a bola está com o povo de Roraima, a bola está com os políticos de Roraima. Por favor, espero que termine a tensão de reclamação e aumente a tensão de produção no estado.”


Justiça
7. Itália vai recorrer ao Supremo no caso Battisti
O governo brasileiro já deixou claro que não quer mais ouvir falar de Cesare Battisti, o ex-terrorista de esquerda a quem foi concedido asilo político, mesmo condenado na Itália à prisão perpétua por quatro assassinatos. Mas o governo italiano não pretende encerrar o assunto. Indignadas com a decisão do ministro da Justiça, Tarso Genro, as autoridades italianas anunciaram que vão recorrer a “todas as opções do ordenamento jurídico do Brasil que possam conduzir ao objetivo de obter a extradição de Battisti”, como informa o Estadão. Só resta à Itália tentar convencer o Supremo, que ainda vai julgar o caso.


Urbanismo
8. Lula será consultado sobre praça de Niemeyer em Brasília
O governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, vai conversar com o presidente Lula no dia 6 sobre o polêmico projeto de Oscar Niemeyer de construir uma praça no gramado central da Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Foi o presidente quem pediu ao arquiteto a edificação de um museu em memória dos ex-presidentes, que faria parte da chamada Praça da Soberania. O problema é que os decretos de tombamento e o plano urbanístico da capital federal não permitem erguer nenhuma construção no gramado. Segundo o Correio Braziliense, Arruda vai dizer a Lula que não tem dinheiro em caixa nem previsão de verba para construir a praça, para a insatisfação de Niemeyer, que faz questão de ver seu projeto concretizado.


Meio ambiente
9. UE retira verbas para emergentes cortarem CO2
A União Europeia apresentou ontem em Bruxelas seu projeto climático de substituição ao Protocolo de Kyoto, que expira em 2012. A exigência de que os países emergentes tenham metas de redução de 30% nas emissões de gás carbônico até 2020 foi mantida, conforme havia adiantado o Estadão, mas foi suprimida a parte que especifica os recursos financeiros para que essas nações cumpram esse objetivo. Estavam previstos € 100 bilhões anuais (cerca de R$ 300 bilhões) aos países em desenvolvimento em programas ambientais, dos quais € 30 bilhões viriam de fundos dos países ricos. Pressionada por seu pior momento financeiro desde a Segunda Guerra Mundial, a Europa agora recua, o que pode levar ao fracasso do novo acordo climático mundial.


10. O que se passa com Robinho?
Pelé, o Rei do futebol, é conhecido por suas opiniões controversas justamente sobre futebol. Ontem, como diz O Globo, ele “não esperou a conclusão das investigações da polícia inglesa” para criticar o jogador Robinho, do clube inglês Manchester City, acusado de ter estuprado uma jovem que ele teria conhecido numa boate da cidade de Leeds, no dia 14. “Lutamos tanto para abrir as portas para as novas gerações, então é triste ver um expoente jogador que poderia dar exemplo fazendo isso não só com o futebol, mas com o próprio país”, afirmou Pelé. Não há nada provado contra Robinho, que já prestou depoimento sobre o caso. Mas Pelé não deixa de ter razão em se preocupar com o futuro do craque da Seleção, que cresceu no Santos com a “bênção” do Rei. Antes desse caso mais grave, Robinho já protagonizara alguns episódios de indisciplina (foi multado recentemente por seu clube após sair da concentração sem pedir autorização) e passa a impressão de que não está focado totalmente na carreira. Mesmo se ele realmente for inocente no episódio da boate, seria bom refletir um pouco e ouvir seu antigo “mentor”.

Viaturas da Polícia Civil sem combustível

29/01/2009 às 19h10m
Publicado por Michel Franck
AGUA BOA NEWS


ÁGUA BOA - Policiais civis que preferem ficar no anonimato estão enfrentando dificuldades para trabalhar neste início de ano. Segundo fontes que não quiseram se identificar, viaturas da polícia civil de Ribeirão Cascalheira, Cocalinho e de Água Boa, não tiveram mais autorização para abastecer nos Postos de Combustíveis nestas cidades. A reportagem não conseguiu obter mais detalhes, mas extra-oficialmente, parece que o sistema de repasse de recursos sofreu interrupção. Sem pagamento de contas, os postos de gasolina não liberaram mais combustível, prejudicando a tarefa da Polícia Civil. Na Delegacia Regional de Polícia do Médio Araguaia ninguém comentou o assunto.

Inácio Roberto - Rádio Interativa FM - Jornal Interativo - Água Boa/MT

Após reunião com prefeitos do Vale do Araguaia, Dênio Peixoto protocola chapa à AMM

29/01/2009 às 12h52m
Publicado por Meider Leister
AGUA BOA NEWS


Foto: Riely Oliveira / VG Notícias
O prefeito de Planalto da Serra {256 km ao sul de Cuiabá}, Dênio Peixoto (DEM) – candidato à presidência da Associação Mato-grossense de Municípios (AMM) – está reunido com pelo menos 10 outros prefeitos da região do Vale do Araguaia. O objetivo é definir os 18 nomes e fechar a composição de sua chapa, que será protocolada ainda hoje (quinta-feira, 29.01) na sede da AMM.

Peixoto chegou cedo ao local do encontro (Hotel Taiamã, em Cuiabá) e falou com exclusividade ao VG Notícias. Ele afirmou que muitos estão querendo impedí-lo de concorrer ao comando da associação e lembrou que nunca houve uma verdadeira disputa – pois sempre se trabalhou com nomes de consenso, forçando a desistência por parte de outros candidatos.

Entretanto, o democrata deixou claro que só “abriria mão” de concorrer à presidência da AMM caso a nova chapa formada fosse encabeçada por um dos três prefeitos do Partido da República (PR) nas cidades do Vale do Araguaia: Maurício Tonhá (Água Boa – 741 km a nordeste da capital), Fernando Gorgen (Querência – 945 km da capital) ou Walter Farias (Canarana – 823 km de Cuiabá). Hoje, Farias é candidato a vice-presidente na chapa do prefeito de Planalto da Serra.

Dênio Peixoto não esconde a preocupação em perder aliados depois que sua chapa estiver pronta. Ele teme que, após a definição dos nomes, seus adversários tentem, a qualquer custo, cooptar os membros de sua chapa. “Vão passar um rolo compressor na minha candidatura”, disse o prefeito – que ficou isolado na disputa depois de ter se negado a compor chapa única com os outros gestores que queriam o caro do presidente da AMM.

“Eles estão pressionando mesmo os prefeitos a votarem na chapa deles, usando como arma de coação os nomes fortes que eles tem por trás de suas candidaturas”, acrescentou. Os adversários a quem Dênio se refere são: o prefeito de Jauru, Pedro Ferreira (PP) – que tem apoio do deputado estadual José Riva; Manuel de Freitas (PR) – gestor do município de Terra Nova do Norte, afilhado do governador Blairo Maggi; e o prefeito de Rosário Oeste, Joemil Araújo (PMDB), que tem respaldo do vice-governador Silval Barbosa.

Apesar do temor, Dênio Peixoto se mostra confiante em um bom desempenho nas eleições – pois, segundo ele, fez uma campanha baseada em propostas cabíveis e possíveis, além de ter visitado pelo menos 80% dos municípios de Mato Grosso - levando suas propostas e ouvindo as reivindicações de cada prefeito. “O voto é secreto, portanto, quaisquer novidades nessa disputa só sairão nas urnas – onde teremos um grito de democracia”, concluiu.

A eleição para nova presidência da Associação Mato-grossense de Municípios (AMM) – em substituição a José Aparecido dos Santos – ocorre amanhã (sexta-feira, 30.01), a partir das 15h, na sede da entidade.

por Antonielle Costa & Fabrício Salomão / VG Notícias

Copyright© 2008-2015 | AGUA BOA NEWS COMUNICAÇÃO LTDA Todos os direitos reservados | By: MICHEL FRANCK

Início